Clique aqui para baixar a versão integral da Rua Judaica


  Edição 588  Diretor/Editor: Osias Wurman Segunda, 12 de Outubro de 2018


 


MANCHETES DE ÚLTIMA HORA


GRAVE SITUAÇÃO EM GAZA - OFICIAL DE ELITE DA IDF MORTO E OUTRO FERIDO EM AÇÃO CAMUFLADA

Sete agentes do Hamas, incluindo altos oficiais da ala militar, foram mortos em confronto com os comandos das IDF • Militar: A operação não foi uma tentativa de assassinato, mas uma missão de coleta de informações que deu errado. • Hamas: Israel pagará por suas ações.

CREATOR: gd-jpeg v1.0 (using IJG JPEG v62), quality = 80
Palestinos inspecionam os restos de um veículo que foi destruído em um
ataque aéreo israelense em Khan Younis, domingo

Um oficial das forças especiais israelenses foi morto e outro foi ferido, na noite de domingo, durante um confronto com agentes do Hamas no sul da Faixa de Gaza, disseram os militares. Sete agentes do Hamas foram mortos no incidente.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que estava em Paris para uma cúpula de líderes mundiais, encurtou sua visita e voou de volta para Israel. Ele convocou uma reunião de avaliação de segurança em Jerusalém ao meio-dia desta segunda-feira.

Muitos detalhes não foram aprovados para publicação devido à natureza sensível da ação militar no domingo, mas de acordo com os detalhes disponíveis, as forças especiais das IDFs que operavam na cidade de Khan Younis, no sul de Gaza, foram descobertas por agentes do Hamas. Um tiroteio feroz irrompeu e as tropas israelenses, que acabaram encontrando-se presas, pediram ajuda aérea, que chegou em poucos minutos, permitindo sua extração.

A IDF disse que não poderia divulgar detalhes sobre a identidade dos feridos, nomeando o oficial morto apenas como o tenente-coronel M.

O segundo oficial sofreu ferimentos moderados e foi internado no Centro Médico da Universidade de Soroka, em Berseba, em condições estáveis, disseram os militares.

O confronto de domingo provocou um surto na fronteira enquanto terroristas palestinos disparavam dezenas de projéteis no sul de Israel.

O sistema de alerta de foguetes de alerta antecipado Color Red disparou repetidamente através das comunidades vizinhas a Gaza, enviando residentes para os abrigos, mais de uma dúzia de vezes entre as 22h45 e as 1h15.

Os militares disseram que o sistema de defesa aérea da Iron Dome interceptou três foguetes, enquanto os outros aterrissavam em áreas abertas.

As tensões na área levaram o Comando da Frente Interna a cancelar o dia letivo em várias comunidades adjacentes à fronteira com Israel e fechar várias estradas principais na área. O tráfego de trens também foi suspenso ao sul de Beersheba.

A Unidade do porta-voz das IDF finalmente divulgou uma declaração incomum, esclarecendo que a operação em Khan Younis não foi uma incursão de assassinato, mas uma missão de coleta de informações que deu errado e
pediu ao público "que se abstenha de espalhar boatos sem fundamento". "

Em uma coletiva de imprensa, porta-voz do IDF, Brig. O general Ronen Manelis disse: "As tropas da IDF que operam em Gaza com o objetivo de manter a vantagem de Israel sobre seus inimigos ficaram presas em uma situação altamente complexa".

"Os soldados agiram heroicamente para neutralizar a ameaça e facilitaram sua extração de volta a Israel. Infelizmente, eles sofreram baixas - o tenente-coronel M., cujos atos de heroísmo não podem se tornar públicos. Outro oficial foi moderadamente ferido. Bem ", disse o comunicado.

Manelis ressaltou que o objetivo da operação israelense não foi o assassinato de um oficial do Hamas ou o seqüestro de um agente inimigo. "Esses tipos de missões são levados muito a sério e geralmente ficam fora do radar". Ele observou que "as forças da IDF na área foram reforçadas e continuam prontas para qualquer cenário".



O Ministério da Saúde de Gaza confirmou que sete pessoas foram mortas no confronto de domingo, dizendo que vários outros ficaram feridos.

A mídia palestina compartilhou fotos do veículo supostamente usado pelas forças israelenses dentro de Gaza, dizendo que o carro foi bombardeado pelo ar por aviões israelenses após a extração, a fim de demolir qualquer rastro de informações ou equipamentos confidenciais.

As Brigadas Izzedine al-Qassam, da ala militar do Hamas, disseram que "uma força especial do inimigo sionista se infiltrou por 3 quilômetros em Khan Younis e assassinou um comandante de nossas forças. A retirada do inimigo levou ao martírio de um número de pessoas ".

Mais tarde, o Hamas indicou o agente morto no confronto como Nour el-Deen Baraka, o comandante militar local, que estaria envolvido no complexo de túneis do grupo terrorista.


www.ruajudaica.com





Osias Wurman
Jornalista

 ESQUECERAM DOS 80 ANOS DA KRISTALLNACHT NO BRASIL?

Foi surpreendente a forma modesta, quase despercebida, como a liderança nacional judaico-brasileira promoveu a lembrança dos 80 anos do trágico evento que representou o inicio do Holocausto.

Algumas raras instituições judaicas promoveram eventos direcionados para dentro da comunidade, mas nada a nível de comunidade maior nos jornais, radio ou TV. Sem falar num ato público que a data merecia.

Em contraste, em diversos países o evento do dia 9 de novembro foi lembrado em alto e bom som.

Na Alemanha - Berlim, Angela Merkel esteve na maior sinagoga da capital alemã e proferiu um emocionado discurso lembrando a importância da Kristallnacht como a disparadora das agressões e mortes de judeus assassinados em via pública.


 


 

No Brasil, o jornal O Globo em sua página de Opinião publicou o único artigo sobre o tema, “Nazismo não morreu”, que teve suíte na TV Globo.

 

https://oglobo.globo.com/opiniao/
artigo-nazismo-nao-morreu-23216050

 

E no icônico Portão de Bradensburg:

Será mesmo que “JAMAIS ESQUECEREMOS”?

 

www.ruajudaica.com

 

 

 

 

 

 

 



O JORNAL DAILY MAIL REVELA A IDENTIDADE DOS 4 FILHOS DE EICHMANN


Um dos filhos do criminoso de guerra nazista mora na Argentina, no prédio ao lado de onde seu pai foi levado pelo Mossad; De acordo com o jornal britânico, os dois outros filhos de Eichmann montaram uma célula nazista; "Quando seu pai foi executado, Klaus e Horst ficaram muito zangados e começaram a atacar os judeus", disse a ex-namorada de Horst.

O Daily Mail expôs esta semana a identidade dos quatro filhos do criminoso de guerra nazista, Adolf Eichmann. Um deles vive na Argentina a poucos quilômetros do local onde o Mossad encontrou seu pai e o levou a Israel para ser julgado por seus crimes em 1960. A cadeia de eventos que levou à captura do criminoso de guerra desencadeia um renovado interesse mundial, em meio ao recém-lançado, "Operation Finale" da Netflix, estrelado por Ben Kingsley e vários atores israelenses.

Dieter com sua esposa Martha (Foto: The Daily Mail)
Dieter com sua esposa Martha

Eichmann teve quatro filhos: Klaus, Horst e Dieter permaneceram leais ao pai, mesmo depois de sua morte, enquanto o mais jovem, Ricardo, renunciou ao criminoso de guerra nazista e o condenou.

Segundo o jornal britânico, Klaus e Horst morreram há três anos. O Daily Mail rastreou o terceiro filho, Dieter, agora com 76 anos e que mora em um apartamento em Buenos Aires. Carmen, uma ex-namorada de Horst, contou ao Daily Mail a história da família Eichmann.

Em sua casa em Garupá, no norte da Argentina, Carmen, de 61 anos, disse que Horst era muito próximo de seu pai. Em dezembro de 2015, quando Horst tinha 75 anos, ele morreu vitima de um câncer.

Da esquerda para a direita: Horst, Dieter e Klaus (Foto: The Daily Mail)
Da esquerda para a direita: Horst, Dieter e Klaus.

Seu irmão Klaus, que morava na Alemanha, morreu de mal de Alzheimer no mesmo ano, aos 79 anos. O irmão Dieter mora com sua esposa italiana, Martha Valinotti, em um apartamento em Buenos Aires.

Dieter era gerente de construção que dividia seu tempo entre a Alemanha e a Argentina antes de se aposentar.  Ele teve dois filhos e nunca deu entrevista, mas de acordo com Carmen, ele acredita que seu pai era inocente.

Carmen descreveu Horst, como um "nazista devoto" e disse que ele pendurou uma suástica na casa da família, depois que seu pai foi levado. "Depois que o vovô Eichmann foi sequestrado, a família entrou em crise. Foi um período muito difícil com Eichmann na prisão em Israel. Toda família estava preparada para a execução, pois sabiam que isso aconteceria”, disse ela ao jornal britânico.

Eichmann na prisão israelense (Foto: GPO)
Eichmann na prisão israelense.

Eichmann foi responsável pela deportação de judeus europeus para guetos e campos de extermínio. Ele escapou e se estabeleceu na Argentina, sob o pseudônimo de Ricardo Klement. Ele morava com a esposa em uma casa modesta em Buenos Aires, onde trabalhava em uma fábrica da Mercedes. Sua identidade foi descoberta, depois que uma mulher judia chamada Sylvia Hermann namorou brevemente seu filho mais velho, Klaus, que não sabia que ela era judia.

“Eichmann disse uma vez que estava cansado de fugir. Sabia o que estava por vir e os mais velhos sabiam disso também. Eles esperavam, mas não facilitaram. Quando ele foi executado, Klaus e Horst ficaram muito irritados e começaram a atacar os judeus. Isso piorou ainda mais as coisas para eles", acrescentou Carmen.

Ben Kingsley como Adolf Eichmann em 'Operation Finale'
Ator Ben Kingsley, interpretando Adolf Eichmann, no filme “Operação Final”.
  

Os filhos de Eichmann criaram uma célula terrorista nazista.

Carmen é costureira de profissão e vive com Horst há 13 anos.

Carmen, amante de Horst (Foto: The Daily Mail)
Carmen

Horst acreditava que o pai não tinha feito nada de errado. Os irmãos concordavam que o “vovô Eichmann” era inocente. Ele dizia aos filhos que Hitler ia atrás dos judeus, pois eles planejavam esterilizar os alemães colocando substâncias químicas na água.

"É por isso que eles foram mortos", disse Horst. “Os filhos tinham certeza que o pai, havia feito à coisa certa. Se Horst achasse que Eichmann era culpado, o seu mundo teria desmoronado”, disse ela ao The Daily Mail.

De acordo com Carmen, Eichmann convenceu seus filhos de que ele só queria expulsar os judeus da Alemanha, mas foi forçado a matá-los depois que nenhum outro país os aceitou.  Inicialmente Eichmann disse a seus filhos que ele era seu tio, a fim de evitar que sua verdadeira identidade fosse descoberta. Ele confessou ser o pai, após uma discussão com Horst.

O The Daily Mail revelou que, depois que seu pai foi executado, Horst e Klaus montaram uma célula nazista e planejavam atacar as sinagogas. Também foi relatado que, em 1962, após um tiroteio com a polícia, foram encontrados propaganda nazista, rifles e coquetéis molotov, com o qual planejavam atacar um ônibus escolar judaico. Horst foi enviado para a prisão dois anos depois por posse de armas de fogo e material de propaganda nazista.

O filho ainda acredita que Eichmann é inocente.

Carmen disse que descobriu o pai nazista de Horst quando estava grávida de seis meses de sua filha.
"Foi um choque no começo. Mas eu não culpei Horst por não ter me contado. Ele era uma pessoa muito cautelosa. Quando Veronica nasceu, nós lhe demos meu nome de solteira no hospital. Nunca poderíamos saber quem estava perto de nós.”

Klaus, o primogênito de Eichmann, era extremamente radical e profundamente comprometido com a ideologia nazista. De acordo com relatos da mídia na época, ele organizou uma coletiva de imprensa em Buenos Aires, horas depois de seu pai ter sido condenado à morte em protesto contra a "injustiça" da sentença.

Eichmann em seu julgamento
Eichmann em seu julgamento

"Todas essas coisas que eles acusam meu pai são pura propaganda. Esses crimes de guerra não são verdadeiros. Ouvi dizer que os principais judeus ordenaram essas execuções porque acreditam que os judeus deveriam ser mártires", disse ele em uma entrevista concedida em 1961, à Parade Magazine.

Em 1959, Klaus se casou com Martha, uma mulher de ascendência africana. O casal tem dois filhos. Mais tarde, Klaus deixou sua esposa e mudou-se para o sul da Alemanha, onde teve mais três filhos de outra mulher. Ele morreu há três anos.

Ricardo, o filho mais novo, nasceu na Argentina. Depois que seu pai foi levado à custódia israelense ele se mudou para a Alemanha com sua mãe Verônica e tornou-se arqueólogo especializado no Oriente Médio. Na década de 1990, ele disse em uma entrevista que a execução de seu pai era justificada, uma vez que ele merecia morrer por seus crimes horríveis.


 

www.ruajudaica.com
 

 

 

 
 

 

 

 

 
 


EM MEIO AO AUMENTO DOS ATAQUES CONTRA OS JUDEUS, O PAPA FRANCISCO CONDENA O ANTISSEMITISMO

O Papa Francisco se reuniu com rabinos do Cáucaso no Vaticano, durante a lembrança dos 80 anos da Kristallnacht e afirmou que “o mundo deve garantir que o antissemitismo seja banido da sociedade humana; Um cristão não pode ser um antissemita; nós compartilhamos as mesmas raízes".

http://www.israelhayom.com/wp-content/uploads/2018/11/1541484091a_mo1-433x295.jpg
Papa Francisco se reúne com rabinos do Congresso Mundial de Judeus das Montanhas.

O Papa Francisco pediu a erradicação do antissemitismo, após um aumento nos ataques e crimes de ódio contra os judeus em vários países, e disse que é vital preservar a memória do Holocausto. Francisco lamentou as atitudes antissemitas atuais, durante o encontro, com os rabinos visitantes, do Congresso Mundial dos Judeus das Montanhas do Cáucaso. Os judeus da montanha são descendentes de judeus que deixaram a antiga Pérsia e se estabeleceram no Cáucaso.

Ele não mencionou o massacre do mês passado na sinagoga Tree of Life, em Pittsburgh, o pior ataque contra os judeus dos EUA.

Francisco disse que o Holocausto, no qual os nazistas mataram 6 milhões de judeus na Europa, deve continuar sendo lembrado para manter viva sua memória.

"Sem uma memória viva, não haverá futuro, pois se as páginas mais sombrias da história não nos ensinam a evitar os mesmos erros, a dignidade humana continuará sendo letra morta", disse.

Ele mencionou a recente lembrança pelo 75º aniversário da deportação dos judeus de Roma pelos nazistas e o 80º aniversário da Kristallnacht, quando nos dias 9 e 10 de novembro de 1938, partidários nazistas embarcaram em uma escala nacional de massacre em toda a Alemanha e Áustria, destruindo quase 300 sinagogas, quebrando janelas, danificando milhares de casas e negócios judaicos e matando centenas de pessoas.

"Infelizmente as atitudes antissemitas também estão presentes em nossos tempos. Como eu repito frequentemente, um cristão não pode ser um antissemita, pois compartilhamos as mesmas raízes", disse o Papa.

"Somos chamados a nos comprometer para garantir que o antissemitismo seja banido da comunidade humana".

www.ruajudaica.com

 

 

 

 

 

 

MAIOR MEZUZÁ MUSICAL DO MUNDO

No telhado da Yeshiva Aish HaTorah, em Jerusalém, está a maior mezuzá do mundo: quase dois metros de altura e aproximadamente 200 kg; Ela pode ser vista de longe graças a dezenas de telas de LED e exibição pirotécnica.

Depois que seu último projeto foi roubado, a cerca de um mês e meio atrás, David Roytman e seus colegas não desistiram e partiram para construir a maior mezuzá do mundo.

No último fim de semana, sua criação foi inaugurada em uma cerimônia impressionante em Jerusalém.

A peça tem quase dois metros de altura e cerca de 200 kg. Foi colocado em um dos locais mais sagrados do mundo, no telhado do Yesh A'Torah Yeshiva, perto do Muro das Lamentações e do Monte do Templo.

 A maior mezuzá do mundo, Jerusalém
A maior mezuzá do mundo em Jerusalém.

A mezuzá é um espetáculo pirotécnico completo. Ela inclui um show de iluminação com dezenas de LED piscando e toca a música "Yerushalaim Shel Zahav” (Jerusalém de ouro), interpretado por Shuli Natan. A mezuzá original foi roubada da fábrica, antes de seu lançamento em setembro. Roytman registrou uma queixa policial, mas disse que metade do trabalho de um ano e dezenas de milhares de dólares foram perdidos.

"O klaf, um pedaço de pergaminho inscrito com versos específicos em hebraico, será inserido em breve na mezuzá", prometeu Roytman, um nativo de Odessa que se tornou religioso na Ucrânia soviética. Ele imigrou para Israel sem seus pais quando tinha 11 anos, como parte do Projeto Infantil de Chernobyl. Em Israel, o designer continuou seus estudos em uma yeshivá até seu alistamento no exército israelense.

Designer David Roytman
Designer David Roytman

Roytman logo se tornou um famoso designer de arte judaica. Um de seus produtos, por exemplo, uma linha de kipá de couro custa milhares de dólares. Os designers por trás do projeto prometeram se inscrever oficialmente no Livro de Recordes. Se as dimensões dadas por Roytman e seus colegas são precisas, ela poderá se tornar, oficialmente, a maior mezuzá do mundo.

www.ruajudaica.com

 

 

 
 

 

 

 

 
 


BONECA QUE SOBREVIVEU AO HOLOCAUSTO ESTÁ EM EXPOSIÇÃO NO YAD VASHEM



Lore Mayerfield Stern tinha apenas 2 anos durante a Kristallnacht em 1938; Ela e sua mãe foram escondidas por vizinhos e depois imigraram para os EUA; Sua única posse era uma boneca chamada Inge, que agora faz parte da exposição online do Yad Vashem;

http://www.israelhayom.com/wp-content/uploads/2018/11/1541493871a_mo1-433x295.jpg

Uma boneca chamada Inge, que sobreviveu ao saque durante a Kristallnacht em novembro de 1938, foi recentemente entregue ao memorial e museu do Holocausto Yad Vashem, em Jerusalém, por seu proprietário e agora está em exposição.

Lore Mayerfield Stern, uma sobrevivente do Holocausto, tinha apenas 2 anos quando a Kristallnacht, conhecida como a "Noite dos Cristais", causaram a destruição massiva de propriedades judaicas.  Durante o pogrom, que aconteceu nos dias 9 e 10 de novembro de 1938, pelo menos 90 judeus foram mortos, 30.000 foram presos e enviados para campos de concentração, quase 300 sinagogas foram destruídas e milhares de casas e propriedades judaicas foram destruídas.

Inge, juntamente com as cartas pessoais que Stern manteve desta época, faz parte da exposição online: “It Came From Within”, do Yad Vashem, que marca o 80º aniversário da Kristallnacht.

Resultado de imagem para Kristallnacht

Durante a Kristallnacht, o pai de Stern, Markus Stern, foi preso e enviado para o campo de concentração de Buchenwald.  Lore e sua mãe, Kaetchen, foram escondidas por vizinhos, que as mantiveram seguras durante os tumultos.

"Lore se escondeu com a mãe até o massacre acabar. Quando voltaram para casa, descobriram que o local havia sido destruído”, afirma o Yad Vashem em seu site.

Elas se mudaram para a casa da mãe de Kaetchen, Lena Kahnlein Stern.

Enquanto isso, Markus foi liberado do campo, depois de seis semanas, pois ele tinha um visto para EUA. Depois de 18 meses, conseguiu obter vistos para sua esposa e filha.

"Elas partiram de Portugal em agosto de 1941", afirma o Yad Vashem.  Lore levou Inge, a boneca que ela recebeu em seu aniversário. Ela colocou a boneca dentro do pijama. No dia 09 de setembro, o navio atracou em Nova York e Markus reencontrou sua família.

Eles souberam que os pais de Markus, Jettchen e Daniel Stern, e sua única irmã, Sarah, haviam morrido no Holocausto, assim como a mãe de Kaetchen, Lena. Mais dois irmãos de Kaetchen, Moritz e Erma conseguiram fugir para os EUA antes da guerra. Lore Stern fez aliá em 1991.

"Ela significa muito para mim", disse Lore ao site do Israel Hayom."Minha avó me deu a boneca e por anos eu recusei deixa-la, porque ela é muito delicada. Quando o Yad Vashem me procurou, decidi que era importante que a boneca e sua história ficassem no museu para a posteridade. Ela é a única coisa que eu tenho daquela época. Ela viajou comigo da Alemanha em um barco para os EUA e esteve ao meu lado toda a minha vida. Ela carrega muito simbolismo”.

De acordo com a coordenadora do projeto, Yona Kobo, a exposição se concentra nas perspectivas pessoais e destinos dos judeus na Alemanha e na Áustria que experimentaram a Kristallnacht em primeira mão.

"Consideramos importante revelar os rostos por trás das histórias humanas daquela noite. É uma história que os números brutos não contam totalmente, uma história que muitas vezes se perde", afirmou Kobo.


www.ruajudaica.com

 


 
 


LISTA PALESTINA NÃO CONSEGUE GANHAR ASSENTOS NO CONSELHO MUNICIPAL DE JERUSALÉM

O partido " Jerusalém, My Town", liderada por Ramadan Dabash, obteve apenas 3.000 votos, ou seja, 1,2% do total; Ele precisava de mais do que o dobro.

Ramadan Dabash, um morador palestino de Sur Baher concorrendo ao conselho da cidade de Jerusalém, em sua segunda casa em Beit Hanina, em julho de 2018 (Adam Rasgon / Times of Israel)
Ramadan Dabash, um morador palestino de Sur Baher, concorria ao conselho da cidade de Jerusalém.

A única lista de palestinos que funcionou na votação local, da semana passada em Jerusalém, não conseguiu conquistar um único assento no conselho municipal da cidade.

“Jerusalem, My Town”, liderada por Ramadan Dabash, recebeu 3.001 votos, cerca de 1,2% dos 250.675 votos para listas em Jerusalém, de acordo com resultados publicados no site da prefeitura. “Jerusalém, My Town” precisaria receber um mínimo de 8.086 votos para ganhar um lugar no conselho, de acordo com cálculos baseados nos resultados preliminares.

Na corrida para prefeito de Jerusalém, os dois candidatos que tiveram melhor desempenho foram Moshe Lion e Ofer Berkovitch, que vão disputar o segundo turno das eleições em 13 de novembro.

Na votação desta semana, as assembleias de voto em Jerusalém Oriental estavam praticamente vazias, com exceção das que estavam no bairro de Sur Baher, em Jerusalém.

"Os resultados mostram a pressão contra o voto nas eleições", disse Amnon Ramon, pesquisador do Instituto de Pesquisa de Políticas de Jerusalém. “Eu acho que há uma prontidão em Jerusalém Oriental para participar e votar nestas eleições. Mas, com a grande pressão contra o voto, que incluiu ameaças de violência, a maioria das pessoas decidiu não votar.”.

https://static.timesofisrael.com/www/uploads/2018/07/ecce4-e1531520076750-640x400.jpg

Autoridades palestinas de Ramallah pediram aos palestinos em Jerusalém Oriental que mantivessem o boicote de longa data às eleições locais.

"Participar das eleições ajudará o establishment israelense a promover seu projeto 'Grande Jerusalém' e desempenhará um papel complementar na implementação de seu plano de assentamento colonial e operações de limpeza étnica", afirmou Saeb Erekat, representante da Organização para Libertação da Palestina em junho.

Alguns palestinos fizeram ameaças com posts no Facebook contra pessoas que planejavam participar das eleições e uma instituição religiosa palestina emitiu uma nota contra a sua realização.

Ao longo das últimas décadas, muitos palestinos em Jerusalém Oriental boicotaram as eleições. Na votação local de 2013, menos 1% dos palestinos na cidade votaram. No entanto, uma pesquisa recente indicou que mais palestinos em Jerusalém Oriental pretendia votar nas eleições da semana passada.

Uma pesquisa conduzida pelo Centro Palestino sobre Políticas e Pesquisas, mostrou que 22% dos palestinos, em Jerusalém Oriental, disseram que planejavam votar nestas eleições.

Dabash, que concentrou sua campanha no fornecimento de serviços maiores aos palestinos não respondeu aos pedidos para comentar a reportagem. Gilad Israeli, que serviu como conselheiro de Dabash, disse que “embora Jerusalem, My Town, não tenha conseguido um assento no conselho, isso levou mais votantes em Jerusalém Oriental às urnas do que nos anos anteriores”.

 

"Embora não tenhamos conseguido mudar o comportamento geral dos eleitores, conseguimos aumentar substancialmente os números, na parte leste da cidade em relação aos anos anteriores", disse em um telefonema. "Espero que tenhamos iniciado uma tendência que continuará crescendo nos próximos cinco anos e se traduzirá em um comparecimento muito maior nas próximas eleições.”.

As próximas eleições municipais em Jerusalém estão marcadas para 2023.

O porta-voz do Ministério do Interior espera que os resultados finais da votação de Jerusalém sejam divulgados nos próximos dias.

 

www.ruajudaica.com

 

 

 
 

 

 

 

 
 


OPORTUNIDADE DE MUDANÇA NA AMERICA LATINA

Sandra Rejwan – Publicado no "Israel Hayom"

A entrevista de Bolsonaro para "Israel Hayom", provocou numerosas reações no mundo e no Brasil em particular. O ponto que acendeu a chama dos ataques foi a questão da transferência da Embaixada israelense de Tel Aviv para Jerusalém, a exemplo aos Estados Unidos. Sucessão de reações furiosas da velha guarda do Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores do Brasil) e das duas casas do Congresso não demorou a chegar e incluía alegações de que eles tinham perdido toda a relevância. Critico destes eram muitos anos desfrutaram das pessoas deixados no escuro sobre os atos dos políticos. Há também acadêmicos entre os oponentes incansáveis de Bolsonaro, um grupo ilustrado e manipulador, que tomou posse das universidades e recrutam mentes moles às sua fileiras.


O presidente eleito terá que nomear um diplomata de estatura, um homem ilustrado e preparado para a missão de chefiar o Ministério das Relações Exteriores do Brasil. Ele terá que desarmar seus vários oponentes da legislatura e de muitos ministérios do governo, que se chegaram aos seus cargos como nomeados políticos e serviram os interesses da coalizão e que foram a causa da destruição de toda boa parte da governança fiel.

Não nos esqueçamos que Benjamin Netanyahu foi quem identificou a oportunidade de mudança na América Latina e, juntamente com o diretor geral do Ministério das Relações Exteriores, Yuval Rotem, decidiram investir orçamentos, tempo e atenção, e parece que os frutos estão amadurecendo lentamente. Chegou a hora de mencionar a relação de amizade e confiança entre o presidente eleito Bolsonaro e nosso embaixador israelense no Brasil, Yossi Shelly, que serve de ponte entre os dois países e implementa resolutamente a política de cooperação nas áreas de segurança, água, agricultura, ciência e muito mais.

 

www.ruajudaica.com

 

 

 
 

 

 

 

 
 


ABSURDO RACISTA: FILIAL DO PARTIDO TRABALHISTA BRITÂNICO VOTA AÇÃO CONDENANDO O ATAQUE À SINAGOGA DE PITTSBURGH

https://www.jta.org/wp-content/uploads/2018/08/Corbyn-580.png
Jeremy Corbyn

Um projeto de lei, condenando o assassinato de 11 judeus em uma sinagoga de Pittsburgh foi rejeitado por uma filial do Partido Trabalhista britânico, numa pequena circunscrição no norte do país. Steve Cooke, secretário da filial da Norton West, no distrito de Stockton North, com 67 mil pessoas, perto da Escócia, submeteu a moção para uma votação após o ataque do último dia 27 de outubro.

Quando colocados em votação, apenas dois membros apoiaram a moção, mas ela foi rejeitada, informou o The Independent.

Cooke escreveu no Facebook que estava "horrorizado" com o fato de a moção ter sido rejeitada e que os membros alegaram que havia muita ênfase na palavra "antissemitismo”, e que isso era antissemitismo.

Seu projeto dizia que os assassinatos "demonstram os perigos impostos pelo crescimento dos sentimentos antissemitas e o discurso do ódio internacional".

Ele destacou a necessidade de se solidarizar com a comunidade judaica em todo o mundo, enviando condolências a todos aqueles afetados pelos trágicos acontecimentos em Pittsburgh.

“Críticos disseram que o texto deveria ter condenado todo o racismo ao invés de destacar o antissemitismo, especificamente”, disse Cooke.

Os trabalhistas estão enfrentando uma investigação criminal, iniciada na semana passada, pela polícia na área de Londres sobre o suposto discurso de ódio antissemita por membros online.

O Conselho de Deputados dos Judeus Britânicos há muito tempo sustenta que o Partido Trabalhista, de Jeremy Corbyn, que chamou de amigos os membros do Hamas e do Hezbollah e disse que os sionistas que nasceram na Inglaterra têm dificuldade em entender a ironia britânica, tem um problema de antissemitismo e que o partido não está fazendo nada para resolver.

Corbyn prometeu punir qualquer pessoa do Partido Trabalhista que seja pego fazendo declarações antissemitas, classificando-os como “inaceitáveis”.


www.ruajudaica.com

 

 

 
 


Por Marcus M. Gilban
Jornalista
direto de Israel para
Rua Judaica

ISRAEL FOI ÀS URNAS PARA ESCOLHER PREFEITOS E VEREADORES

TEL AVIV – Os brasileiros residentes em Israel – apenas os que transferiram seus títulos para Tel Aviv a tempo hábil – foram às urnas três vezes em menos de um mês. Além do 1º e do 2º turno das eleições majoritárias brasileiras (no exterior, vota-se apenas para presidente), realizados respectivamente em 7 e 28 de outubro, os olim brasileiros votaram no dia 30 nas eleições municipais locais. E mais: nas cidades onde nenhum candidato obteve 40% dos votos, haverá segundo turno no dia 13 de novembro. Total: serão quatro votações em pouco mais dois meses.

Vale lembrar que, enquanto a participação nas eleições brasileiras é obrigatória, o voto nas eleições israelenses é facultativo, sendo 17 anos a idade mínima. Outra diferença fundamental é que todo o processo aqui é manual. No entanto, é bastante rápido inteligente porque não há que se preencher nada. Diante do mesário, o eleitor se identifica, recebe dois envelopes (amarelo para prefeito e branco para conselho municipal) e se encaminha à cabine. Nela encontra cédulas já prontas com os nomes dos concorrentes, escolhe uma de cada cor, insere cada qual no envelope de mesma cor e os deposita na urna. Fim.

Pela primeira vez, sob uma nova lei da Knesset (Parlamento), o dia de eleição foi feriado nacional com o objetivo de estimular os eleitores a votar. De acordo com o Misrad Hapnim (Ministério do Interior), cerca de 3,6 milhões de pessoas votaram de um total de 6,6 milhões de eleitores em 251 cidades, municípios e conselhos locais, o que representou uma média de 61% de participação (10% a mais que nas últimas eleições municipais há cinco anos). Em Haifa o número foi 47%, em Tel Aviv foram 44%, e 35% em Jerusalém (onde os residentes árabes de Jerusalém Oriental boicotam o voto).


O ministro do Interior, Aryeh Deri, elogiou a mudança, afirmando estar "orgulhoso do sucesso do ministério em melhorar o comparecimento dos eleitores e a maneira profissional como organizou as maiores eleições da história de Israel". O custo total foi de 2 bilhões de shekels, cerca de 2 bilhões de reais.

Na capital, Jerusalém, o candidato apoiado pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e pelo prefeito Nir Barkat ficou fora da disputa no 2º turno, que se dará entre Moshe Lion e Ofer Berkovitch, que tiveram no 1º turno respectivamente 30% e 29% dos votos. Já em Tel Aviv, o atual prefeito Ron Huldai foi reeleito para o quinto mandato consecutivo com 46% dos votos. Huldai governa a segunda maior cidade do país desde 1998. Haifa, a terceira maior cidade, terá pela primeira vez uma prefeita, Einat Kalisch Rotem, que obteve 55% dos votos.

Em Ra'anana, cidade que reúne a maior comunidade brasileira de Israel com 300 famílias, o atual prefeito Eitan Ginzburg vai ao 2º turno com o adversário Chaim Broide, que levou a melhor no 1º turno com 33% dos votos contra 27% de Ginzburg. Desde então, o terceiro colocado declarou apoio a Broyde enquanto vários dos outros derrotados optaram pelo atual prefeito.

Ginzburg é herdeiro político do ex-prefeito Zeev Bieski, que governou a cidade por dois mandatos não-sequenciais e dialogava muito bem com todos os setores. Ginzburg assumiu no início do ano quando Bielski aceitou outro cargo público e deixou a prefeitura. Argentino que fez aliá com menos de dois anos de idade, o servidor público de carreira Eitan Ginzburg ganhou manchetes em todo o país como primeiro prefeito assumidamente gay de Israel.

Em Harish, cidade ao norte do país que cresce a passos largos e oferece imóveis novos e amplos a preços bem mais em conta que os praticados no centro, o prefeito Yitzchak Keshet recebeu 62,5% dos votos e foi reeleito no 1º turno, com apoio da pequena comunidade brasileira. Num vídeo publicado há pouco, ele agradece aos brasileiros em meio aos latinos pelo apoio.

Não custa lembrar que Israel é a única democracia sólida no Oriente Médio. O orgulho de votar como cidadão do único Estado Judeu do mundo pôde ser acompanhado pelas redes sociais, onde uma grande parte de olim brasileiros e de todas as nacionalidades postou fotos, muitas vezes em família, diante da urna azul com a menorá que simboliza Israel. Não tem preço.

www.ruajudaica.com

 

 

 
 


TIME DE FUTEBOL BRASILEIRO USA NOMES DE VÍTIMAS DO ATAQUE Á SINAGOGA DE PITTSBURGH

https://www.jta.org/wp-content/uploads/2018/11/Brazil-socccer-team-conrinthians-uniform-Pittsburgh-snagogue-shooting-rezize.jpg

Jogadores de um dos maiores times de futebol do Brasil usaram uniformes com os nomes das 11 vítimas do ataque contra a sinagoga em Pittsburgh. Cada um dos 11 jogadores da equipe do Corinthians vestiu a camisa, durante o torneio do Campeonato Brasileiro contra o Botafogo. O time perdeu de 1 a 0.

"O massacre em Pittsburgh durante o serviço religioso judaico prejudicou nossos valores fundamentais", disse o presidente do Corinthians, Andres Sanchez, em uma mensagem. "É por isso que tomamos a decisão de homenagear as vítimas desse ato irracional de violência e convocamos todos os povos a coexistirem em harmonia e respeito às diferenças”.

Em parceria com a federação judaica de São Paulo, as camisetas serão leiloadas e o dinheiro arrecadado será destinado à construção de um monumento contra a intolerância. O restante será doado para o Ten Yad, uma instituição de caridade judaica que luta contra a fome no Brasil.

Um homem entrou na sinagoga, em Pittsburgh, no dia 27 de outubro, durante as orações matinais do Shabat e matou 11 pessoas.

Persio Bider, presidente da organização Juventude Organizada Judaica, classificou a iniciativa do clube, como "sem precedentes".

“Como ativista judeu e partidário do Corinthians, sinto-me honrado e representado por entender que a mensagem contra o ódio aos judeus, deve ser enfatizada e divulgada para todos”, disse ele à JTA.

Cerimônias especiais para homenagear as vítimas de Pittsburgh foram realizadas em várias instituições judaicas brasileiras, incluindo sinagogas, escolas e clubes.

“Essas coisas não podem ser repetidas. Cada um de nós deve ser um exemplo, visando um mundo melhor. Lembrar e repelir os atos de preconceito é a melhor maneira de combater esses surtos de barbárie. Baruch Dayan Haemet!”, disse Sanchez, usando a expressão hebraica que significa abençoado é o verdadeiro juiz, que é dito quando se ouve a notícia de que alguém morreu.

Fundado em 1910, o Corinthians é um dos times de futebol mais populares do Brasil, com mais de 30 milhões de torcedores. Detentor de vários títulos nacionais e internacionais foi listado pela Forbes como o clube de futebol mais valioso das Américas, em 2017, avaliado em US $ 576,9 milhões.


www.ruajudaica.com

 

 

 
 


EQUIPE ISRAELENSE DE POLO AQUÁTICO TEM JOGO NA ESPANHA CANCELADO, DEVIDO À AÇÃO DO BDS

https://www.jta.org/wp-content/uploads/2018/11/polo.jpg
Jogador israelense Lior Ben David.

Os organizadores espanhóis de um torneio de polo aquático, da Copa do Mundo, suspenderam um jogo com a seleção de Israel, após protestos do grupo BDS contra o Estado judaico. A partida de Israel contra a seleção feminina da Espanha estava agendada para última terça-feira, no Clube Náutico Molins de Rei, no subúrbio de Barcelona, mas os organizadores cancelaram o evento no dia anterior, em meio à pressão de grupos da Catalunha, que pertencem ao movimento de Boicote, Desinvestimento e Sanções contra Israel, segundo relatou o jornal El Pais.

O jornal informou ainda que a recusa em receber os israelenses veio dos operadores do clube, que não é administrado pelo município de Molins de Rei. A Real Federação Espanhola de Natação está tentando encontrar um local alternativo para o jogo, segundo a reportagem.

Mais de 50 municípios espanhóis endossaram os princípios do BDS, o maior número de países europeus.
O judiciário espanhol, nos últimos anos, reprimiu a prática que dois altos tribunais da Espanha definiram como discriminação.

"Enquanto vários desafios legais e decisões judiciais serviram para desafiar o BDS espanhol, a campanha que visa relações com Israel, incluindo atividades culturais e esportivas, continua a prosperar, em parte, devido ao apoio do governo a grupos radicais", disse Gerald Steinberg, fundador da ONG Monitor em Israel.

A ONG Monitor, que realiza pesquisa para grupos ativos no conflito Israel-palestina, apresentou um estudo no ano passado, no parlamento espanhol, que ilustra “como o governo financia e endossa grupos que promovem a BDS, incluindo alguns grupos ligados ao terror”, disse Steinberg.

Um grupo pró-BDS que se beneficia do financiamento espanhol, a Novact, também nega o direito à autodeterminação judaica.

 

www.ruajudaica.com

 

 

 
 


APÓS 56 ANOS DE BUSCA, IDF ENCONTRA OS RESTOS MORTAIS DE PILOTO NO MAR DA GALILEIA

Militares afirmam que o corpo do tenente, Yakir Naveh, foi descoberto usando novas tecnologias que ajudaram a “peneirar” o fundo do mar.

Tenente Yakir Naveh, cujo avião caiu no Mar da Galileia em maio de 1962. (Força Aérea de Israel)

O Exército israelense descobriu os restos mortais do tenente, Yakir Naveh, que está desaparecido desde que seu avião caiu no mar da Galileia há 56 anos, informou o exército esta semana. Os restos mortais foram descobertos no dia 25 de outubro, no fundo do mar, juntamente com peças da aeronave.

“Uma vez encontrados, eles foram enviados para um laboratório forense para identificação”, afirmou o exército.

https://static.timesofisrael.com/www/uploads/2018/11/7_66.jpeg
Soldados israelenses vasculham a lama do fundo do mar da Galileia, como parte de uma busca
pelo tenente Yakir Naveh, cujo avião caiu em 1962.

Seu funeral está marcado para o dia 13 de novembro, às 15 horas, no cemitério militar de Kiryat Shaul, em Tel Aviv.

No dia 6 de maio de 1962, Naveh treinava um cadete, a bordo do Fouga Magister, quando seu avião ficou muito baixo e o motor foi desligado. O nariz do avião bateu na água, fazendo um giro feroz e acabou caindo.  Um ano depois, uma equipe de busca encontrou o corpo do cadete, Oded Kouton, mas nenhum vestígio de Naveh. Em 2000, as Forças de Defesa de Israel renovaram a procura pelo piloto. No dia 16 de outubro, os militares iniciaram sua 12ª rodada de buscas.

Peças maiores do avião, como asas e a cobertura foram encontradas com relativa rapidez, deixando apenas pedaços menores para trás. Mergulhadores militares já tinham encontrado o relógio, a pistola e os pedaços da cadeira do piloto de Naveh.

O tenente nasceu no subúrbio de Ramat Gan em 1939. Ele tinha 23 anos e se casou na época do acidente.

Embora o Mar da Galileia seja um relativamente pequeno, os esforços de busca no mar foram descritos como “infernais” para mergulhadores, já que o fundo macio e sedoso reduz a visibilidade ao mínimo.

"É uma completa escuridão", disse o chefe da equipe de mergulho da IDF, ao jornal The Times of Israel em 2016.  “Está frio. Estamos falando de 14 graus”.

Devido à profundidade, os mergulhadores também só podiam permanecer abaixo da superfície por aproximadamente meia hora de cada vez, antes de terem que subir para evitar doenças resultado da descompressão.

Os militares disseram que os restos mortais foram descobertos com a ajuda de uma empresa externa que forneceu "tecnologias modernas e avançadas" que ajudaram a peneirar o terreno em torno do local do acidente.

"Esse esforço é parte do compromisso moral e ético da IDF em encontrar todos os soldados desaparecidos e todos os soldados cujos locais de sepultamento são desconhecidos", afirmou em nota o Exército.

www.ruajudaica.com

 

 

 
 

 

SINGER FOUNDATION OFERECE US$ 1 MILHÃO PARA SEGURANÇA DAS INSTITUIÇÕES JUDAICAS DE NOVA YORK, EM RESPOSTA AO ATAQUE EM PITTSBURGH

A Fundação Paul E. Singer afirmou que doará pelo menos US $ 1 milhão para ajudar a garantir segurança nas instituições judaicas de Nova York, em resposta ao ataque à sinagoga de Pittsburgh que deixou 11 mortos.

Resultado de imagem para Singer Foundation

A fundação anunciou que o dinheiro irá para revisões de segurança e precauções aprimoradas nas sinagogas, escolas e centros comunitários, informou o New York Post.

"A tragédia em Pittsburgh foi um doloroso lembrete da necessidade de rever as questões de segurança da nossa comunidade", disse Paul Singer, gerente bilionário de fundos. Ele aproveitou e pediu que outras pessoas “se unissem ao esforço”. O dinheiro será distribuído pela Federação UJA de Nova York.

Os recursos também serão direcionados para as avaliações oficiais de segurança, de instituições que necessitam solicitar financiamento do governo. 

A Singer Foundation diz que sua missão “é apoiar e criar organizações e iniciativas inovadoras, que fortaleçam a democracia americana, o futuro de Israel como um Estado judaico e democrático e a continuidade judaica”.


www.ruajudaica.com

 

 

 
 


EX-GUARDA DA SS NAZISTA, DE 94 ANOS, VAI A JULGAMENTO PELA MORTE DE PRISIONEIROS DO CAMPO DE STUTTHOF


Um ex-guarda da SS nazista foi a julgamento por ser cúmplice dos assassinatos em massa, de centenas de prisioneiros do campo de concentração nazista de Stutthof.

Resultado de imagem para Johann Rehbogen

Johann Rehbogen tinha menos de 21 anos quando trabalhou no campo entre 1942 e 1944 e, portanto, está sendo julgado em uma corte de menores na cidade de Münster, no oeste da Alemanha. O julgamento está programado para durar até janeiro e só se reunirá duas vezes por semana, em dias não consecutivos, devido à idade e ao estado de saúde de Rehbogen.

Mais de 60.000 pessoas foram mortas em Stutthof durante a Segunda Guerra Mundial.
Rehbogen disse aos investigadores que ele não estava ciente dos assassinatos que ocorreram em câmaras de gás e tiros.

Os promotores afirmam que ele sabia sobre os assassinatos em Stutthof e que os guardas eram essenciais para os assassinatos. O tribunal juvenil não identificou Rehbogen pelo nome. Seu nome foi divulgado pelo Centro Simon Wiesenthal.


www.ruajudaica.com

 

 

 
 


EMPRESÁRIO JUDEU É NOMEADO MINISTRO DO GOVERNO NA TUNÍSIA.

A Tunísia nomeou um empresário judeu como ministro do turismo.

Resultado de imagem para René Trabelsi

René Trabelsi foi nomeado para o cargo pelo primeiro-ministro, Youssef Chahed, como parte de uma reforma ministerial que viu 10 novos ministros se unirem ao governo. Ele será o primeiro ministro do governo judeu a servir nas últimas décadas e apenas o terceiro membro do gabinete judaico, desde que o país predominantemente muçulmano alcançou a independência em 1956, informou a Reuters.

Trabelsi é filho do líder da comunidade judaica tunisiana, Perez Trabelsi, que é presidente da sinagoga Ghriba, na ilha de Djerba.

O jovem Trabelsi, um operador turístico, cresceu em Djerba e é coorganizador da visita anual de peregrinos judeus à ilha para Lag Baômer. Mais de 3.000 peregrinos judeus, muitos deles israelenses, visitaram a ilha para este ano.

A Tunísia, no norte da África, abriga cerca de 2.000 judeus em uma população de mais de 11 milhões.

www.ruajudaica.com


 

 
 

Ásia "acordou" e empresas de tecnologia israelenses enxergam oportunidades.


Empresas israelenses estão aproveitando a crescente demanda por tecnologia financeira e serviços na Ásia; Os crescentes requisitos de conformidade significam que as instituições financeiras estão sob pressão para erradicar a lavagem de dinheiro e outras irregularidades; A Ásia "acordou" para a tecnologia financeira e os pontos fortes de Israel no desenvolvimento de software estão atraindo cada vez mais interesse.

https://fm.cnbc.com/applications/cnbc.com/resources/img/editorial/2013/09/23/101055250-170066034.530x298.jpg?v=1379961851

Como a Ásia cada vez mais procura implementar tecnologia financeira, as empresas israelenses do setor estão desfrutando de uma demanda crescente na região. Hong Kong, um importante centro bancário global está entre as cidades que fortalecem as defesas contra a lavagem de dinheiro e o financiamento ao terrorismo, o que está trazendo oportunidades para as empresas de tecnologia.

Israel, por sua vez, desenvolveu um setor de tecnologia financeira dinâmica (fintech), com mais de 500 empresas, de acordo com um folheto do governo disponível em seu estande, durante a conferência Hong Kong FinTech Week.

A AU10TIX é uma dessas empresas israelenses, especializada em autenticação forense de alta velocidade, que pode ser usada, por exemplo, quando um cliente abre uma conta no banco e envia documentos de identificação on-line.
"A Ásia acordou há cerca de um ano e meio", disse Ofer Friedman, vice-presidente de marketing da AU10TIX, sobre a crescente abertura desta tecnologia em mercados como o Japão, Cingapura e Hong Kong. "Obviamente, as oportunidades são onde os governos deixam a fintech florescer", completou.

O apoio do governo e os avanços baseados nas forças armadas, estimuladas pelas demandas de segurança do país, uma cena dinâmica e um abraço cultural de fracasso nos negócios, como uma oportunidade de aprendizado, são citados como contribuintes para o desenvolvimento das fintechs de Israel.

Uma população relativamente pequena com cerca de 8,8 milhões significa, entretanto, um mercado interno limitado e torna essencial a procura de negócios no estrangeiro, sendo a Europa e os Estados Unidos os pilares tradicionais. Agora as economias em crescimento da Ásia e os requisitos de conformidade financeira estão proporcionando novas oportunidades.

"O mercado asiático está crescendo", afirmou Mark Gazit, CEO da ThetaRay, de Israel, que usa inteligência artificial para ajudar bancos e seguradoras a detectar atividades ilícitas.

"Agora, até mesmo os cassinos em Macau têm que fazer a regulamentação do KYC", disse Gazit, referindo-se à sigla "conheça seu cliente", parte da crescente pressão global para erradicar o financiamento criminal.

Maior desafio.

Oportunidades também estão surgindo como novas formas de serviços bancários e financeiros sob aprovação.
"Hong Kong é um mercado-alvo muito importante para nós, especialmente agora quando eles estão abrindo o mercado para licenças de banco virtual. Atualmente, nosso maior desafio como empresa é lidar com a demanda”, afirmou Gazit.

Ester Perets Burke, cônsul e chefe da missão econômica e comercial de Israel em Hong Kong, destacou não ter números precisos sobre a presença de empresas de tecnologia israelense na Ásia, mas ela tem sido "inundada" por investigações de empresas israelenses enquanto atende pedidos de clientes potenciais em Hong Kong para apresentações.

"Pode ser um banco ou uma companhia de seguros. Eles vão para Israel, eles me chamam antes e falam: Você pode nos ajudar a explorar uma tecnologia específica?", disse Burke, acrescentando que há muito interesse na empresa nas áreas de segurança e privacidade.

"É algo em que somos muito fortes", disse Burke sobre o software israelense, que, segundo ela, está sendo aplicado a uma ampla gama de áreas, como pagamentos, análise de dados, segurança cibernética e lavagem de dinheiro.

Um refúgio para outros países também.

A Irlanda é outro país pequeno, especializado em tecnologia que está encontrando oportunidades na Ásia. A Enterprise Ireland, subsidiária do governo, tem um portfólio de mais de 5.000 empresas com mais de 200 delas, envolvidas em tecnologia financeira, de acordo com Mo Harvey, diretor de serviços financeiros e tecnologia financeira na região Ásia-Pacífico do grupo.

"Nós vemos a Ásia, genuinamente como o mercado número 1 em crescimento para essas empresas, especialmente as de tecnologia financeira", disse Harvey no estande da conferência da Irlanda em Hong Kong.

Uma delas é a Global Shares, que desenvolveu softwares para administrar planos de compensação e concessão de ações e também serve como corretor quando eles vendem.
Ela está se expandindo na Ásia, onde conta com a japonesa Mizuho, ??a chinesa SenseTime e a McDonald's na China e Hong Kong como clientes.

"É uma área de crescimento, onde todas as novas empresas de tecnologia estão evoluindo", disse Dara Murphy, gerente geral da Global Shares.

"Todos os grandes grupos, em rápido crescimento estão na Ásia e as empresas de tecnologia são o nosso alvo", acrescentou.

 

www.ruajudaica.com

 

 

 
 


RECORDANDO A NOITE DOS CRISTAIS EM ARAUCARIA-PR - “DIA MUNICIPAL DE LUTO E REFLEXÃO AO HOLOCAUSTO”


Cidade prospera a 30km de Curitiba, cujo prefeito é Hissam Hussein Dehaini (PPS), instituiu na data considerada como o prenuncio da Shoá - a KristallNacht - 09 nov, o “Dia Municipal de Luto e Reflexão ao Holocausto”. Na Casa de Cultura, uma exposição sobre o Holocausto como acontecem poucas pelo Brasil, com valioso material doado por sobreviventes e obras de arte produzidas por artistas e alunos das escolas locais, sob a orientação do Secretario de Educação e Cultura Eduardo Tavares e da Profa. Vania (Hadassah) Eragus, entre outros lutadores sociais da preservação da memoria em Araucaria.

Cidade onde em 1889 chegaram os primeiros judeus do Paraná, cinco homens e tres mulheres da familia Flaks, e dois irmaos Rosenman, estabelecendo-se na recem fundada colonia agricola polonesa de Tomas Coelho.  Terra dos Tinguis que tambem viu chegar africanos, alemaes, poloneses, ucranianos, portugueses, arabes, franceses, japoneses, suecos, construindo a moderna e prospera Araucaria de hoje.

Nesta progressista cidade, da Madeira ao Aço - sede da REPAR - Refinaria Presidente Vargas,  realizamos no Anfiteatro da Prefeitura uma apresentação sobre a Epopéia do Gueto de Varsovia - Luta Universal e Eterna pela Liberdade - Um Legado Atual, para 100 alunos do Curso de Formação de Professores, onde leciona a Profa Vania Eragus,  com a presença do Secretario Eduardo Tavares, Diretor de Eventos da Secretaria Toni, Presidente da Bnei Brith Szya Lorber, Historiadora Bluma Lorber, e outros correligionarios paranaenses.

Adentrando a cidade, onde a rodovia passa sob o Portal Polones, ergue-se o Memorial da Imigração Polonesa Parque Romão Wachowicz, com sua casa de 1876 e a capelinha de São Miguel Archanjo, Protetor de Israel citado na Torá (Biblia) como "Michael" pelo Profeta Daniel, guardião das portas do inferno, impedindo que o Mal se espalhe pelo Universo. Padroeiro dos Paraquedistas do Exército Brasileiro, dos Fuzileiros Navais, policiais, motoristas de ambulÂncia e tantos mais que vivem para servir, venerado pelas religioes judaico cristãs e muçulmanas e ainda como Oxalá ou Oxossi. Confronta e vence Satã no Apocalipse, representado como o Dragão.

Nestes dias em que recordamos a Noite dos Cristais, ainda sob o impacto do infame atentado contra a sinagoga de Pittsburgh em pleno Shabat, templo este que significativamente traz o nome de Etz Chaim - Arvore da Vida, levamos ricas lembranças de Araucaria, e do belissimo trabalho empreendido pela Secretaria de Educação e Cultura, através da Profa. VAnia Eragus, Coordenadora do Projeto Shoá.

Assim como na Noite dos Cristais, o assassino de Pitsburgh escolheu uma sinagoga para tentar escurecer os olhos de Israel e apagar as luzes do mundo, a luz da Torá e das orações que irradiam dos templos e sinagogas.  Mas todos esses barbaros fracassaram redondamente. As velas continuarão a serem acesas, em Pittsburh, Araucaria, Jerusalem, por toda parte iluminando o mundo.

A intolerância e o preconceito não triunfarão.

Israel Blajberg - Dever de Memória

www.ruajudaica.com

 

 

 
 


DESTAQUES SOCIAIS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

http://www.owurman.com/images/noticias_da_rua_judaica_17_09_18_clip_image004_0005.png

 

 

 

 

 


Se você recebe o Notícias da Rua Judaica de amigos ou de terceiros, inscreva-se gratuitamente
para receber semanalmente o nosso informativo, enviado diretamente para seu e-mail.
Clique aqui e você estará inscrito

Se desejar indicar amigos para receberem este informe,
clique aqui e lista os e-mails dos novos assinantes

 

 


COMUNICADO AOS LEITORE
S

A direção editorial da Rua judaica deseja esclarecer qe todas as opiniões ou juízo de valor, emitidas por seus colunistas ou colaboradores, são de exclusiva responsabilidade dos autores, não representando, necessariamente, a opinião editorial do veículo, de entidades a que pertençam os articulistas, nem às entidades ou países a que possam representar.

 
     

 


Jornalista Responsável:
Osias Wurman - MT 14.707
Colaboradores Internacionais: Israel - Marcus Gilban
Diagramação: MarketDesign