Edição 154     Diretor / Editor: Osias Wurman Quinta, 11 de Fevereiro de 2010

 
 
MANCHETES DE ÚLTIMA HORA


- Governo iraniano adota medidas de censura no dia do 31ºaniversário da Revolução Islâmica bloqueando ferramentas de comunicação como o Google e o Gmail. Informa-se que protestos foram reprimidos com violência.

- Em 1920, de cada 100 judeus 2 casavam-se em matrimônios inter-religiosos. Em 2009, excluindo Israel, este número subiu para 67% a nível mundial.

- “Destrua Israel se ele atacar”, foram as palavras de Ahmadinejad para Assad da Síria.
- Dez agentes, incluindo três mulheres, participaram no assassinato do dirigente do Hamas em Dubai, em janeiro passado, segundo o jornal Intelligence Online, sediado em Paris. Os agentes usaram passaportes europeus.
- Segundo aniversário do massacre na Yeshivah Merkaz HaRav em Jerusalém, quando oito estudantes do seminário foram fuzilados por um terrorista árabe, será marcado por estudos da Torah, canções e memorial.
 
 



Osias Wurman
Jornalista

 

NESTA EDIÇÃO CEDO O MEU ESPAÇO PARA O EDITORIAL
DO JORNAL O GLOBO DE 10/2



O risco Irã

O Irã recorreu a seu script preferido em se tratando do programa nuclear: num dia se mostrou disposto a enviar urânio para ser enriquecido no exterior - forma imaginada pelo Ocidente para controlar a produção; no outro, anunciou que começaria o enriquecimento, não mais a 3,5%, mas a 20%. Para fazer a bomba atômica é preciso urânio enriquecido a 90%. Mas, dizem os especialistas, é preciso muito menos tempo para ir de 20% a 90% que de 3,5% a 20%.

Portanto, mais uma vez o país pôs a comunidade internacional em estado de tensão e de confusão. Teerã afirma que o programa nuclear é para fins pacíficos, e de fato o país precisa gerar mais energia elétrica. Sobre o enriquecimento a 20%, afirma que é necessário para aplicações "médicas". O problema é que não tem credibilidade um governo que, em primeiro lugar, descumpre todas as exigências da Agência Internacional de Energia Atômica; em segundo, esconde instalações nucleares, como uma jogada de xadrez; em terceiro, é uma ditadura teocrática nas mãos de uma ala radical do Islã xiita que apoia grupos terroristas como o Hezbollah e o Hamas; e que fraudou a reeleição de seu ponta-de-lança - o presidente Mahmoud Ahmadinejad -, recorrendo a uma repressão brutal à oposição, com prisões e mortes em profusão.

Não resta ao Ocidente outro recurso senão a cartada diplomática, aplicando sanções mais duras do que as já em vigor contra a república islâmica. A ideia é tornar impossível a compra no exterior de componentes para o prosseguimento do programa nuclear iraniano. Os Estados Unidos, a França e a Rússia estão dispostos a tanto. A dificuldade continua sendo a China, contrária às novas sanções, provavelmente por conta de seus contratos de aquisição de petróleo iraniano.

E agora, ao que parece, também o Brasil, que ultimamente assumiu o papel de interlocutor do regime dos aiatolás extremistas. O presidente Lula já teve dois encontros com Ahmadinejad e visitará o Irã em maio. Ontem, o chanceler Celso Amorim fez eco à China, criticando a ideia de novas sanções. Manter canais diplomáticos abertos é positivo, mas deve-se ter sintonia fina para saber a hora em que o interlocutor passa dos limites e deixa de ser digno de confiança. Pois a busca pelo Brasil de um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU não pode justificar o acobertamento de um regime para o qual os fins justificam todos os meios, como o do Irã.


 




 


COMUNICADO AOS LEITORES


A direção editorial da Rua judaica deseja esclarecer que todas as opiniões ou juízo de valor, emitidas por seus colunistas ou colaboradores, são de exclusiva responsabilidade dos autores, não representando, necessariamente, a opinião editorial do veículo, de entidades a que pertençam os articulistas, nem às entidades ou países a que possam representar.

 
 

DIA NACIONAL DA IMIGRAÇÃO JUDAICA

O vice-presidente da República José Alencar recebeu em audiência, nesta quarta-feira, o deputado federal Marcelo Itagiba que foi convidá-lo em nome do presidente da CONIB, Claudio Lottenberg, para participar da primeira comemoração do Dia Nacional da Imigração Judaica em 18 de março próximo.

Na data do evento, o presidente Lula estará em Israel e o vice ocupará o governo interinamente.

O evento será liderado pela CONIB, representante política da comunidade judaico-brasileira, e se realizará no Grande Templo Israelita do RJ, presidido por Rui Flaks Schneider.


Itagiba entrega um exemplar do Informe FIERJ que traz na capa a foto do dia da assinatura da Lei.


 
 

Haredim Têm Treinamento Esportivo

Nas horas da noite, quando seus amigos ainda se debruçam sobre as páginas do Talmude, eles saem da yeshiva e trocam os seus kipás e ternos por roupas esportivas. Entram no ginásio e trabalham com levantamento de pesos e andam de bicicleta. São os 24 estudantes da yeshiva que fazem parte do primeiro curso desse gênero e que eventualmente produzirá treinadores esportivos. O curso foi iniciado pelo Ministério da Indústria, Comércio e Trabalho num esforço para ajudar os membros da comunidade ultra-ortodoxa para a integração no mercado de mão-de-obra. Gideon Zaken, chefe do Ministério para o distrito de Jerusalém recentemente contatou o Centro Buot, que se especializa em treinar os haredim na natação e profissões de terapia com a água e pediu um local de trabalho para treinar os haredim.


O Presidente Executivo do Centro, Zvika Hendels teve uma idéia: “Nos últimos anos cada vez mais haredim se interessam com a saúde e a aptidão, então por que não darmos instruções sobre preparo físico aos haredim”? O departamento de treinamento profissional do Ministério aceitou a idéia e até mesmo decidiu subsidiar o curso. Os estudantes haredim que vêm de diferentes comunidades de Israel têm a idade entre 20 a 38 anos. O curso tem a duração de nove meses, e ao término receberão um certificado de treinadores esportivos. As aulas do curso "foram kasherizadas" e aprovadas pelos rabinos. Um dos alunos é David Schwartzbaum de 30 anos, é casado com dois filhos e estuda na Yeshiva Mir em Beit Shemesh. "Sempre me interessei com a saúde" ele afirmou. "Passo metade do dia na yeshiva e metade do dia no ginásio. Faz me sentir bem, e é saudável".


 
 

Campanha para combater o tráfico de pessoas


O Secretário Nacional de Justiça Romeu Tuma lança o plano nacional, ladeado pelo
Superintendente da Polícia Federal Angelo Gioia e pelo Consul Honorário de Israel Osias Wurman.

O Brasil vai intensificar o combate ao tráfico de pessoas, que movimenta, em todo o mundo, US$ 31,6 bilhões por ano, e que vem crescendo nos últimos anos. Para isso, o governo lançou nesta terça-feira a campanha nacional de combate ao tráfico de pessoas, que terá peças publicitárias para expor à sociedade a questão.

O secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Junior, disse que as ações têm sido focadas no corte do fluxo financeiro das quadrilhas que atuam no país, que em sua maioria, têm ramificações internacionais.


O Delegado Tuma visitou recentemente o Estado de Israel.

"Essas quadrilhas têm um perfil empresarial. Então, se for evitado que as organizações façam uso do recurso financeiro do produto amealhado pelo crime, há um repressão qualificada. Prender e processar só não adianta mais. Precisamos é evitar que não se use o dinheiro", afirmou, em evento de lançamento da campanha, na rodoviária Novo Rio, no Rio.

Nos últimos 20 anos, a PF (Polícia Federal) instaurou 800 inquéritos, segundo Tuma Junior. O número de casos, segundo os dados da instituição, vêm subindo de forma substancial.

"Não temos especificamente uma comprovação de que subiu e que cresceram os casos de tráfico. O que temos certeza é que cresceu muito a repressão a esse tipo de crime, e isso faz aparecer mais, transparece mais", afirmou.


 
 

UTILIDADE PÚBLICA – PROCURA-SE

CASO DA SEMANA PASSADA

Buenas: Mi nombre es Eduardo Galak y estoy haciendo una investigación sobre Bela Guttman, técnico húngaro de origen judío que tengo entendido que dirigió en Argentina (6 partidos a Quilmes en el `57 y no sé si en algún otro club) y en Uruguay (en Peñarol).La investigación se basa en su historia personal, teniéndolo como ejemplo en persona de la globalización en el fútbol, pero cuyo pasado está asociado a su discriminación por judío. Quisiera saber si pueden facilitarme alguna información o indicarme quien puede o en donde puedo conseguirla. Les agradezco -- Eduardo Galak CONICET/UNLP-CIMeCS - GEEC (Grupo de Estudios en Educación Corporal)
Eduardo Galak

RESPOSTAS RECEBIDAS


I )
Wurman, ingale: O Bella Guttman foi técnico do São Paulo em 1957, onde ganhou (roubado: o gol do Maurinho contra o Corinthians foi em completo impedimento) o Campeonato Paulista. O time era Poy, De Sordi e Mauro; Dino, Vitor e Riberto: Maurinho, Amaury, Gino, Zizinho e Canhoteiro. Alguns já morreram, como Canhoteiro e Poy; mas outros podem saber algo sobre ele. Quem com certeza deve ter informações é o Milton Neves, da Rede Bandeirantes (http://blog.miltonneves.ig.com.br/). Ele tem uma pesquisa excelente, Que Fim Levou, mas no caso Bela Gutman há apenas uma referência de um antigo zagueiro do São Paulo, o Turcão, dizendo que era um grande técnico. É possível que ele não tenha ainda material suficiente para colocar no site, mas saiba alguma coisa. Abração
Carlinhos (Carlos Brickman)

II)
Informo a Eduardo Galak que Bela Gutman foi tecnico do São Paulo na segunda metade dos anos 50 e teve papel importante nas mudanças táticas que influenciaram Vicente Feola (técnico da seleção brasileira que acabou por vencer a Copa do Mundo de 1958). Foi também técnico do Benfica de Portugal no início dos anos 60, tendo sido por duas vezes campeão da Copa dos Campeões da Europa. É possível que encontre nos arquivos dos dois clubes referencias mais detalhadas. Procure também Paulo Vinicius Coelho, da ESPN, que certamente deve dispor de maiores informações.Atenciosamente,
Hélio Blak 

III)
Prezado Osias, A respeito de Bela Guttman, o leitor Eduardo Galak poderá ter informações no site do São Paulo F.C. do qual Guttman foi técnico na década de 50. Pelo que lembro, ele nunca teve, aqui no Brasil, qualquer tipo de restrição pela sua origem judaica. Há, até, conhecedores de futebol que o consideram um dos maiores técnicos que já tivemos, por todas as inovações táticas que implantou.
Helio Tyszler

CASO DESTA SEMANA

Osias, Parabens por estar sempre inovando. Gostei da nova seção " UTILIDADE PÚBLICA – PROCURA-SE ". Muitas pessoas  não sabem mesmo como procurar parentes e amigos "perdidos" pelo Mundo. Uma boa oportunidade de achá-los dando aos que os conhecem uma oportunidade de ajudar o reencontro ou se isto for impossivel, pelo menos um paradeiro. Eu mesmo procuro por parentes nos Estados Unidos com sobre-nomes diferente do meu mas nem no Google consegui saber por onde andam. O nome dos parentes IRWIN KERTMAN, com descendentes; JOANA (talvez atual Polk) – filha; JULIA (talvez atual HORTON) – filha; GAIL (talvez atual KIRSCHMAN) - filha E outros relacionados: AARON ENGEL e RACHEL ENGEL (esta ex-POLK); DANIEL HENRY HORTON- filho de JULIA (acima); DREW KIRSCHMANN - filho de GAIL (acima); DAVIDA ROSE HORTON- filha de JULIA (acima).
Isaac Dahis

CARTAS RECEBIDAS

  1. Prezado Sr. Osias! Agradeço o seu empenho em me ajudar a localizar a pessoa de Silvain Rothstein. Felizmente já foi localizado. Shalom, 
    Rita Braun


  2. Prezado Sr. Osias.  De tanto ler seus comunicados na excelente publicação RUA JUDAICA, já sinto intimidade consigo e quase ia escrevendo Osias, sem o tratamento formal. Acabo de abrir seu último e-mail e vi que estamos, alguns Lerners, em foto na sua publicação. Quem lhe escreveu foi meu primo mais velho, um dos dois primeiros netos do Zeide Shloime. Conforme a carta de Eduardo, temos já a data para a comemoração do Yurtzait do Zeide, quando reuniremos a maior parte de seus descendentes; só não estarão presentes aqueles que vivem fora do Brasil. Agradeço sua atenção para com o evento, que contará com cobertura fotografica como merece a ocasião.Cordiais saudações
    Lúcia Sandler - Psicologia  Eutonia

INFORMAÇÕES DEVEM SER ENVIADAS PARA : owurman@globo.com


 
 

DEU EM O GLOBO



 
 

Por Daniela Kresch
Jornalista
direto de Tel-Aviv

UM HARÉM EM PLENA TEL AVIV

Há tempos um assunto tornou-se tempo das conversas de corredor, por aqui. Sem contar as manchetes de jornal e as sátiras de programas de humor. Trata-se de um homem chamado Goel Ratzon, de 60 anos, acusado de manter uma espécie de harém com dezenas de mulheres e filhos. As mulheres não moravam todas na mesmo casa. Mas dividiam prédios no tradicional Bairro Hatikva, em Tel Aviv. Para muitas delas, Ratzon era (ou ainda é) uma espécie de “messias”, de salvador. Elas o veneravam como numa espécie de culto.

Ano passado, o Canal 10 passou um documentário sobre Ratzon e suas “esposas”. As imagens mostraram dezenas de mulheres concorrendo por um beijo do “marido” em comum. Mulheres quase hipnotizadas. Algumas de suas filhas dançavam na presença do líder. Alguns filhos beijavam sua mão.  Difícil acreditar que algo assim pudesse estar acontecendo na Israel do século 21. E em Tel Aviv, a metrópole moderna, a “Nova York” israelense.


Há um mês, Ratzon foi detido sob acusação de manter suas mulheres numa espécie de regime de escravidão. Todo o dinheiro que elas ganhavam – de salário ou benefícios de governo – era repassado ao Todo-Poderoso. Ele teria colocado câmeras nos apartamentos para controlar sua enorme família. E teria se acostumado a punir quem não seguisse suas regras. As mulheres seriam forçadas a vestir vestidos que cobrissem todo o corpo e pagariam multas em dinheiro caso quebrassem essa ou outras regras. Goel Ratzon também é acusado de ter abusado sexualmente de algumas das mulheres, entre elas suas próprias filhas.

Semana passada, depois de semanas de silêncio, ele decidiu alegar inocência. Segundo ele, as mulheres não eram forçadas a nada. Elas teriam escolhido viver dessa maneira por vontade própria. No documentário do Canal 10, ele disse que simplesmente era “bom para elas”. Algumas das moças concordaram, afirmando que Goel Ratzon era “perfeito”.
Ao que parece, ele escolhia suas “presas” entre moças com pouca auto-estima, ávidas por alguma companhia e pela sensação de fazer parte de um grupo. Depois da prisão do “chefe”, algumas parecem sair finalmente do transe e pensam inclusive em depor contra ele. Mas outras ainda o defendem e afirmam estar com saudades.

Há anos a polícia tenta deter Ratzon. Só conseguiu fazê-lo recentemente porque três mulheres decidiram se queixar às autoridades. Sua prisão foi encarada com alívio por muita gente, que ansiava por uma ação da polícia e dos serviços sociais. Agora, a preocupação é com o futuro das mulheres e, principalmente, das crianças. Todos têm que reaprender a viver em sociedade e sem um líder supremo. Espero que consigam.

 

 
 


Al Qaeda Conclama a ‘Jihad’ contra o Ocidente


A ala da al-Qaeda baseada no Iêmen conclamou os muçulmanos na Península arábica para empreenderem a "jihad", ou a "guerra santa", “contra os cristãos e judeus na região”. "Os cristãos, os judeus, e os governantes traiçoeiros apóstatas nos aprisionaram...vocês não têm nenhuma outra maneira de se livrarem dessa situação a não ser através da ‘jihad’", divulgou através de uma fita de áudio postada num site freqüentemente utilizado por grupos islâmicos, o vice-líder saudita da área, Saeed al-Shehri, que já havia sido preso pelos EUA em Guantánamo. Shehri foi um dos 30 membros da al-Qaeda que o Iêmen alegou ter morto num ataque aéreo em dezembro, mas cuja morte logo depois foi negada pela rede militante global. "Alertamos para que vocês, o nosso povo na Península, prepararem e coloquem munição nas suas armas e defendem a sua religião e a vocês mesmos se juntando aos seus irmãos mujahideen," disse ele.

Shehri informou que o fracassado ataque a bomba contra um avião com destino aos EUA em dezembro, foi realizado em conjunto como o líder máximo Osama bin Laden. Bin Laden assumiu em janeiro a responsabilidade pelo ataque, semanas após a al-Qaeda no Iêmen ter dito que estava por trás da operação. Shehri disse que no mês passado, numa reunião em Londres de membros de alto nível, foi discutido como estabilizar o Iêmen e que mostrou que havia uma guerra ideológica sendo empreendida contra os muçulmanos do Iêmen pelo Ocidente. Shehri disse que forças americanas tinham morto mulheres e crianças iemenitas com o que ele denominou de "aviões de espionagem", aparentemente uma referência a aeronaves não tripuladas. O Iêmen disse que não permitiria uma intervenção militar estrangeira direta em sua luta contra a al-Qaeda. Shehri enfatizou a conclamação para a ‘jihad’ para diversos iemenitas, incluindo os xeiques do "Houtha" no que pareceu ser uma referência aos xiitas rebeldes do norte conhecidos como os Houthis. O Iêmen tem combatido, desde 2004, uma rebelião de uma seita minoritária xiita no norte e também tem enfrentado um movimento separatista no sul.


 
 

FOTOLEGENDA

Garota cola adesivo na boca onde se lê "Gilad ainda vive" durante protesto em frente à prisão de Hadarim, próximo a Netanya, em Israel. Cerca de 30 israelenses protestaram diante da prisão para exigir o direito à visita do soldado Gilad Shalit, preso e mantido incomunicável há mais de três anos. Shalit foi sequestrado por comandos do Hamas, dos Comitês de Resistência Popular e de um desconhecido Exército Islâmico em 25 de junho de 2006, durante uma operação do Exército israelense na faixa de Gaza, segundo a versão palestina, e em sua base em território israelense perto do limite de Gaza, segundo a versão israelense. O preso se transformou em tema central das negociações entre palestinos e israelenses, embora todas as tentativas feitas com mediação egípcia para conseguir sua libertação tenham fracassado. Em troca, os palestinos exigem a soltura de centenas de presos palestinos. /Reuters

 

 
 

Comentário rende quarto processo contra Boris Casoy

O gari Demilson Emidio dos Santos, da cidade da Campina Grande, Paraíba, move ação contra a TV Bandeirantes e o jornalista Boris Casoy por comentário pejorativo do âncora durante o "Jornal da Band", no último dia 31 de dezembro. No processo de indenização por danos morais, Santos argumenta que o fato causou "danos profundos" a ele a sua família. Essa é o quarto processo movido em razão do comentário. Na ocasião, após assistir as felicitações de dois garis sobre o ano novo, Casoy - sem saber que o microfone estava aberto - comentou: "...Que merda...dois lixeiros desejando felicidade... do alto de suas vassouras...dois lixeiros... o mais baixo da escala do trabalho". Após a repercussão, o jornalista foi a público pedir desculpas pelo episódio. No entanto, não foi o bastante para a Federação Nacional dos Trabalhadores em Serviços, Asseio e Conservação, Limpeza Urbana, Ambiental e Áreas Verdes (Fenascon) e para a representação regional da categoria para o estado de São Paulo, a Siemaco, que moveram, ao todo, três ações contra o jornalista, sendo uma delas criminal. A emissora é citada em duas das ações.

O site Espaco Vital informa que, na petição inicial, o gari declarou que "enfrenta, dia a dia, as intempéries do tempo propiciando à sociedade ambientes limpos das sujeiras urbanas onde o Sr. Boris Casoy, como o seu comportamento desumano, é mais lixo do que o próprio lixo". A respeito de sua família, o gari sublinhou que o fato causou "danos profundos", uma vez que "seus familiares perceberam o quanto o renomado jornalista Boris Casoy, formado de opinião pública com abrangência continental pensa a respeito de tão nobre e indispensável profissão." A ação foi ajuizada no último dia 28 de janeiro na 8ª Vara Cível da Comarca de Campina Grande. A assessoria da Band disse à reportagem do Portal IMPRENSA que, por enquanto, não irá comentar o caso.


 
 


Aberto o Museu Rabin em Tel Aviv

O Museu israelense no Centro Yitzhak Rabin foi aberto ao público em geral, oferecendo aos visitantes uma documentação fascinante da história do Estado de Israel, interligada com a história do primeiro-ministro.


O museu foca marcos históricos da vida de Yitzhak Rabin e os liga a momentos decisivos no desenvolvimento do País. Ao chegarem os visitantes recebem dispositivos individuais de áudio – em hebraico, inglês e árabe – permitindo que as visitas sejam feitas no ritmo de cada um e possam ver dúzias de filmes curtos.

O tour começa num saguão redondo que exibe um clipe de três minutos da noite que Rabin foi assassinado. Os visitantes então entram num corredor interno construído em espiral em descida que apresenta a biografia de Rabin, e podem percorrer através de salas apresentando a história do Estado até o assassinato no dia 4 de novembro de 1995. A exposição termina numa outra sala espiralada com várias telas apresentando clipes curtos sobre as notícias do assassinato de Rabin, através das reações dos líderes públicos israelenses e internacionais, até o funeral e elogios póstumos.

O museu foi construído de maneira que é difícil de não ver quaisquer das exposições, e os visitantes podem levar mais de três horas explorando os mais de 180 filmes documentais e 1.500 fotografias, assim como as centenas de peças e documentos expostos.

Uma apresentação importante é o escritório de Rabin na sua casa em Tel Aviv, que é apresentada intacta no museu, da mesma maneira que ele deixou antes que saiu para a manifestação de paz na qual ele foi assassinado, inclusive uma TV transmitindo o mesmo jogo de futebol que o primeiro-ministro assistia naquele dia.

Dizer que o museu glorifica Rabin seria uma explicação incompleta. Uma grande parte da exposição é dedicada ao seu segundo período como primeiro-ministro e inclui uma parede cheia de telas de televisão documentando o crescimento econômico e a reforma educacional que aconteceram durante esse período, assim como elogios de cidadãos israelenses sobre o sistema de estradas de Israel.

É importante notar que a equipe acadêmica nomeada para determinar o conteúdo do museu não ignorou os capítulos não-tão-agradáveis na biografia de Rabin, como o seu desmaio de 24 horas quando servia como chefe do estado-maior das IDF durante a Guerra dos Seis-Dias e a sua decisão de renunciar durante o seu primeiro período como primeiro-ministro, devido a conta ilegal em dólares da sua esposa.

Uma visita ao Museu no Centro Yitzhak Rabin é uma experiência muito interessante, mas o que está exposto frequentemente oprime devido ao número muito grande de itens o que exige um grande nível de paciência (e um par confortável de sapatos). O dispositivo de áudio é parte essencial da visita, mas a grande quantidade de filmes curtos traz alguma confusão. Apesar dessas falhas, esta impressionante exposição fornece uma importante lição de história para israelenses e assim como para visitantes estrangeiros.

O Museu Israelense no Centro Yitzhak Rabin fica em 14 Chaim Levanon Street, Tel Aviv. Horas de visitação: domingo, segunda-feira e quinta-feira – das 9 da manhã até 5 horas da tarde; terça-feira – das 9 da manhã até as 7 da noite: sexta-feira – das 9 até as 2 da tarde: Para a programação de uma visita disque  972-3-7453358 (YNET).


 
 

Renault-Nissan mostra carro elétrico para o mercado israelense

A Renault-Nissan apresentou em Ramat Hasharon, próximo a Tel Aviv, o primeiro modelo elétrico do projeto Better Place que visa a introdução de veículos movidos a eletricidade em Israel até 2011. A meta das duas empresas é reduzir a emissão de poluentes no país, onde cada motorista roda, em média, 70 quilômetros por dia.


O projeto prevê ainda a instalação de infra-estrutura de uma rede de abastecimento em todo o país, com cerca de 500 mil postos de carregamento de baterias.


Projeto prevê a instalação de cerca de 500 mil postos de abastecimento no país (Foto: Jonathan Nackstrand/AFP)

De acordo com as marcas, o desempenho dos veículos é semelhante ao de um carro 1.6 movido a gasolina – ou seja, em média, 100 cavalos de potência. Os envolvidos na produção do modelo estimam que daqui cinco anos 45 mil veículos elétricos estejam em circulação no país.


 
 

Comissão sobre grupos neonazistas deve ouvir delegados de SP e RS


Itagiba: neonazistas estariam planejando ataques
a judeus, negros e homossexuais.

A comissão externa da Câmara que acompanha as investigações sobre quadrilhas neonazistas deve ouvir, ainda neste mês, policiais que atuam no combate a esse crime em São Paulo e no Rio Grande do Sul. A audiência pública será proposta pelo coordenador da comissão, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), na reunião administrativa marcada para esta quarta-feira (10), às 15 horas, no plenário 3. O deputado pretende convidar a titular da Delegacia de Crimes Raciais e Delito de Intolerância de São Paulo, Margarette Barreto, e o delegado da 1ª DP de Porto Alegre (RS), Paulo César Jardim. "Eles vêm atuando fortemente contra esses grupos", afirma Itagiba. "Esperamos ouvi-los para dar ainda mais apoio nas ações policiais e para que a gente possa aprimorar a legislação e acabar com esse tipo de discriminação. Instalada em junho do ano passado, a comissão externa já realizou audiências públicas nas duas capitais, ouvindo policiais, representantes de movimentos sociais e jornalistas. A principal quadrilha estaria situada no RS, mas com células em SP, Paraná e Santa Catarina.



Em uma das operações realizadas pela Polícia Civil de Porto Alegre, em maio de 2009, foram apreendidas mais de 300 peças, entre fotos, DVDs, livros, bombas caseiras, facas, estiletes e roupas com suásticas. O grupo, chamado de New Land, estaria planejando ataques a judeus, negros e homossexuais, segundo a polícia. "Esses grupos precisam ser combatidos", diz Itagiba.De acordo com o coordenador, após ajudar na integração das polícias estaduais e federal, o foco da comissão neste ano será o aprofundamento das investigações. "Queremos extirpar as raízes do problema com ações policiais que levem todos esses indivíduos aos tribunais", afirma.Para a deputada Maria do Rosário (PT-RS), a expectativa é de que a comissão proponha medidas de enfrentamento ao problema no âmbito policial e legislativo. Ela afirma que a comissão deve propor, além de mudanças na legislação, acordos bilaterais com países que mantém fronteira com o Brasil. "Percebemos que esses grupos têm, inclusive, conexões internacionais", disse.


 
 

SÍMBOLOS JUDAICOS NA PASSARELA


A Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense do Rio de Janeiro traz para a avenida este ano o enredo Brasil de Todos os Deuses. Ao longo do desfile as alas da escola irão mostrar as várias tradições religiosas dos imigrantes no Brasil que fundiram-se à nossa brasilidade.  Judeus, árabes, ortodoxos, japoneses budistas ou xintoístas, alemães protestantes e até indianos hare krishnas, com suas formas de linguagens, expressões diretas e atuantes, preservam seus mistérios e cultuam seus deuses...

Uma terra abençoada! É um Brasil que nasce de homens bem-aventurados, de uma história de dores e de alegrias, que gera um povo miscigenado, criativo e crente no que se tem de mais valor: o poder dos deuses. Seres iluminados, supremos, espirituais ou materiais, sagrados ou profanos, divinos de um Brasil de todos os Deuses.

Do Judaísmo: "um velho pastor, cansado da fome e da seca, certa vez ouviu uma voz a dizer: Parte da tua terra. Era o Senhor, que propôs guiar aquele homem até um lugar abençoado, onde água e comida nunca faltariam. Em troca, ele deveria adorá-Lo como o único Deus e espalhar pelo mundo uma mensagem de justiça. A proposta era arriscada numa época em que reis exploravam o trabalho de camponeses, invasores ameaçavam cidades-estado e os povos, em busca de proteção, veneravam várias divindades. Mesmo assim, o pastor aceitou o acordo. E foi recompensado por isso. Seu nome era Abraão. Ele sobreviveu a guerras, catástrofes naturais, perseguições. E seus descendentes foram guiados numa longa jornada rumo a Canaã - a Terra Prometida".

 
     
 

CARNAVAL: ROMA PROÍBE MÁSCARAS DE HITLER E MUSSOLINI

O prefeito de Roma, Gianni Alemanno, reiterou hoje a proibição ao uso de fantasias dos ditadores alemão Adolf Hitler e italiano Benito Mussolini durante os desfiles de Carnaval da capital da Itália, programados para o próximo dia 14. Alemanno esclareceu que as celebrações não foram canceladas, como havia interpretado alguns veículos de imprensa, mas não poderá haver "uma manifestação com máscaras de personagens históricos tão dramáticos".

A decisão do prefeito responde a uma mobilização da associação "Arte, Música e Cultura", que organizou um desfile com o tema "Carnaval in love 2010" -- para comemorar o Carnaval e o dia dos namorados italiano -- que também é celebrado no dia 14 de fevereiro.

A proposta do grupo era desfilar pelas ruas de Roma com fantasias de personagem que representam "as mais lindas histórias de amor", entre as quais estariam a de Hitler e sua companheira Eva Braun, e a de Mussolini e sua amante Claretta Petacci.

"Acredito que seja de péssimo gosto para uma manifestação gloriosa como o Carnaval, a utilização de máscaras que remetam a personagens que nos recordam momentos trágicos", completou Alemanno.(ANSA)


 
 


HUMOR JUDAICO



 
 

O ETERNO CHÁVEZ....

O ditador venezuelano Hugo Chávez, que comemorou nesta terça-feira o 11º aniversário de sua posse, em meio a frequentes protestos, anunciou que, "se o povo quiser", está disposto a governar por mais onze anos para garantir as conquistas de seu projeto socialista. "Tenho 55 anos e 11 anos como presidente. Nos próximos 11 anos, prometo cuidar de mim um pouco mais e, se vocês quiserem, dentro de 11 anos terei 66 anos, se Deus quiser, 22 como presidente", declarou Chávez a membros de seu governo e a outras centenas de pessoas em um teatro de Caracas.

Ele disse no entanto, que não espera governar um terceiro período de 11 anos pois considera "demasiado" ficar 33 anos no poder. Pouco depois, Chávez afirmou que a "revolução bolivariana" se estenderá por 900 anos, para que seu país "se vingue" pelos últimos 90 anos do século 20 em que "os oligarcas" governaram apoiados pelo "império ianque". "Restam 900 anos. Burgueses, continuem resistindo porque restam 900 anos, nada mais", acrescentou. "Depois de 900 virão mais 900, mas os oligarcas nunca mais voltarão a governar a Venezuela, nunca mais os ianques voltarão a governar a Venezuela", insistiu o ditador.


 
 

FOTOLEGENDA


Jovens palestinos atiram pedras contra policiais em campo de refugiados em Jerusalém.


 
 

Netanyahu pede que Europa puna Irã por enriquecer urânio

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, reuniu-se com os embaixadores europeus lotados no país e lhes pediu para que seus países imponham sanções imediatas ao Irã, que iniciou o enriquecimento de urânio a 20%. "O Irã está avançando em sua corrida armamentista nuclear enquanto menospreza os desejos da comunidade internacional, que precisa proteger a paz e impor sanções", disse Netanyahu aos diplomatas no hotel King David de Jerusalém, em um encontro convocado pelo embaixador espanhol, Álvaro Iranzo, como representante da Presidência rotativa da União Europeia.

O chefe do governo israelense pediu aos europeus para que as sanções ao Irã não sejam "parciais e moderadas", mas "paralisantes e imediatas", informou à Agência Efe seu porta-voz, Mark Regev. Netanyahu lembrou ainda que nos últimos dias os líderes de Teerã pediram "a aniquilação do Estado de Israel", e disse aos embaixadores europeus que "Israel espera que todos os governos responsáveis do mundo condenem duramente essas declarações, embora isso exija mais do que palavras". Cientistas iranianos iniciaram o processo de enriquecimento de urânio a 20% na usina nuclear de Natanz, na região central do país, informou a rede de televisão estatal iraniana. O Ministério de Relações Exteriores do Irã advertiu através de seu porta-voz, Ramin Mehmanparast, que as sanções internacionais não impedirão que seu país abandone seu programa nuclear, que disse ser para fins pacíficos.


 
 

CARRASCO FARSANTE

O ucraniano John Demjanjuk, que teria trabalhado como guarda em um campo nazista de extermínio de judeus em Sobibor, chega de cadeira de rodas para o início de mais um dia de julgamento, na corte de Munique. Demjanjuk, 89 anos, é acusado de participação no assassinato de quase 28 mil judeus e outros prisioneiros do Nazismo durante a Segunda Guerra Mundial . Para tentar sensibilizar os juízes, o carrasco falseia seu estado de saúde procurando demonstrar uma gravidade que não existe.


 
 

Armas para o Exército Americano

A empresa BAE Systems Rokar, baseada em Jerusalém, assinou um contrato de U$25 milhões de dólares com o Exército americano para o fornecimento de câmeras térmicas de visão noturna.

As câmeras serão instaladas nas  luzes traseiras dos veículos fora-estrada e possibilitarão aos ocupantes uma imagem do que acontece atrás do veiculo e a estimativa é que serão para 10.000 veículos. A Rokar é uma subsidiária israelense da empresa internacional BAE Systems que emprega 140 trabalhadores em Israel.


 
 

A Magnitude da Malignidade - Alemanha 1939/1940

As fotos abaixo foram feitas por um fotógrafo americano da Revista LIFE, na Alemanha dos anos 39/40. Uma enfermeira alemã de um hospital de Berlin guardou os negativos e , após sua morte, sua filha devolveu os originais aos sucessores da revista que não é mais publicada.




 
 

Sobe para 55 o número de jornalistas presos no Irã

A oposição do governo do presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad afirma que atualmente existem no país 55 jornalistas presos. De acordo com o site Kaleme, do candidato derrotado e líder da oposição Mirhossein Mousavi, nove jornalistas e fotógrafos foram presos nos últimos dois dias.

Outro site, o Parleman News, informou que uma jornalista, que não estava entre os citados pelo Kaleme, foi presa no último domingo.
Desde as eleições presidenciais de 12 de junho, o Irã foi tomado por protestos de opositores que acreditam que houve fraude na reeleição de Ahmadinejad. Muitos manifestantes foram presos, entre eles jornalistas de veículos de oposição.

As informações são da Reuters.


 
 

Presidente do Banco Central de Israel Mostra Otimismo

O Governador do Banco de Israel Stanley Fischer disse que o aumento nos preços dos imóveis não constitui uma bolha. Os preços dos imóveis subiram 5,6% em 2009, contribuindo para a taxa de inflação de 3,9% no ano passado. "Temos um problema no mercado imobiliário e as pessoas chamam-no de uma bolha. Mas isto não é uma bolha" Fischer disse na Conferência Anual em Herzliya. Alimentada pelo forte crescimento na segunda metade do ano a economia de Israel cresceu 0,5% em 2009 e a previsão para 2010 é de 3,5% . "A economia de Israel está agora em recuperação, mas esta recuperação é muito frágil" disse Fischer. "Essa é a razão pela qual Israel tem que ser muito cuidadoso ao sair dos procedimentos adotados durante a crise".

Em agosto passado o Banco de Israel foi o primeiro Banco Central importante que aumentou as taxas de juros de curto prazo. Até agora aumentou sua taxa básica de juros de 0,5% para 1,25% que aconteceu com o aumento de um quarto de um por cento no dia 28 de dezembro. Na semana passada o Banco Central optou por deixar a taxa básica inalterada. "Não devemos abandonar o estímulo monetário tão rapidamente" Fischer disse. Ele assinalou que o Banco Central tentava equilibrar dois fatores – o apoio à economia e ao mesmo tempo tentando manter inflação dentro do objetivo oficial de 1% a 3% anuais. Em 2010 a inflação é estimada entre 2,3% a 2,7%. Fischer também disse que Israel tem o potencial de crescimento acima dos 5% que o país cresceu entre 2003 e 2008, mas a paz com os palestinos e outros vizinhos regionais seria necessária. "Se houver paz, ficaríamos mais próximos de um crescimento de 6% a 7%" ele afirmou, observando que a paz provavelmente atrairia muitos e maiores investimentos estrangeiros.


 
 


Judeus sefarditas de todo o mundo vão encontrar-se na Serra da Estrela

Os descendentes de judeus sefarditas, originários de Portugal e Espanha, espalhados pelo mundo, vão pela primeira vez ter um festival internacional sobre as suas raízes em Novembro, em Belmonte, Guarda e Trancoso.

O evento vai ser promovido terça e quarta na Feira Internacional de Turismo do Mediterrâneo, em Tel Aviv, Israel, numa iniciativa da entidade de Turismo da Serra da Estrela (TSE).

A região tem uma grande herança judaica em que temos apostado ao longo dos anos e que culmina no Primeiro Festival da Memória Sefaradita Portuguesa», explica Jorge Patrão, presidente da TSE, que representa a única presença portuguesa no certame em que há diversos contactos agendados com operadores turísticos ligados ao mundo judaico. O Museu Judaico de Belmonte, onde se mantém uma comunidade ativa com a respectiva sinagoga, as rotas de antigas judiarias na vila, na Guarda e em Trancoso, o azeite, vinho e queijos kosher produzidos na Beira Interior são algumas das marcas vivas destacadas por aquele responsável. «Esta aposta permite também ter durante todo o ano uma alternativa à sazonalidade da neve» como atração turística da Serra da Estrela, acrescenta.

Como referência, a TSE refere que, em 2009, o Museu Judaico de Belmonte recebeu 17 840 visitas, mais 16 por cento que no ano anterior. Dez por cento dos visitantes eram judeus oriundos de países como Israel, Estados Unidos da América, Brasil e Canadá, refere Jorge Patrão. O Primeiro Festival da Memória Sefaradita de 1 a 7 de Novembro vai estar centrado no Teatro Municipal da Guarda, com atividades em Belmonte, Trancoso e dois dias (com data a definir) em Lisboa. O programa inclui conferências dedicadas à história sefardita com especialistas internacionais, actividades ligadas à música e cultura judaica e abertura de novos equipamentos ligados à temática. Para Trancoso, está prevista a inauguração do Centro de Estudos Isaac Cardoso, proeminente médico judeu do século XVI, e na Guarda deverá ser inaugurado um memorial a Aristides de Sousa Mandes, cônsul português em França cujos vistos salvaram milhares do Holocausto.

Está também prevista a apresentação de novos produtos kasher da região. Há mais projetos na carteira, refere Jorge Patrão, apontando como exemplo «o projeto para uma estrutura de recriação de uma sinagoga na zona da antiga judiaria da Covilhã». «Não há visitas sobre esta temática em Portugal que não passem pela Serra da Estrela», acredita Jorge Patrão, que pretende com o festival cimentar essa posição no mercado turístico. Durante a Feira Internacional de Turismo do Mediterrâneo, Jorge Patrão espera estabelecer parcerias com operadores turísticos especializados no mercado judaico. Apesar de assentar apenas na Serra da Estrela, esta presença reforça a marca de Portugal em Israel, concluiu.


 
 

A fala e suas consequências

Fernando Bisker – Miami/EUA – Exclusivo para Rua Judaica

Com as declarações de Mahmoud Ahmadinejad, e seus discursos tão repletos de mentiras e ódio, vemos claramente que algumas pessoas usam palavras para manipular e influenciar. Quero citar um estudo feito pelo famoso pesquisador japonês, Masaru Emoto, sobre o poder da palavra e a influência sobre a matéria. Seus livros já superam dois milhões de cópias vendidas. Usando um microscópio de alta definição fez a seguinte experiência.

1) Placas com gotas de água mineral, direto da fonte, foram colocadas em um quarto.

2) A água foi congelada em uma temperatura de -25º C durante 3 horas.

3) A água congelada foi retirada do freezer e ampliada com lentes que variam entre 200x e 500x, em um quarto cuja temperatura estava em – 5º C.

Vejam as fotos do cristal da água, exposto às seguintes palavras:

Amor e Apreciação


Muito Obrigado

Feio

Vou te matar

Agora, pela visão do judaísmo, onde existe o princípio que cada pequeno ato do ser humano, se feito da maneira correta e com a intenção correta, pode influenciar a matéria para o bem, podemos entender um dos motivos de pronunciar as rezas antes de comer e beber, que não é simplesmente uma forma de agradecer a comida recebida, e sim, também uma maneira de influenciar a própria matéria que em breve se tornará parte de nosso próprio corpo. E nosso corpo é composto de pelo menos 60% de água. Se estas palavras influenciam alimentos, imagine o quanto deve influenciar ao próximo.

O que podemos aprender de Ahmadinejad é que devemos tomar cuidado com o que falamos, e que cada palavra que sai de nossa boca deve ser levada a sério e não ser utilizada para fazer o mal, da mesma forma que fazia Hitler em seus macabros discursos.


 
     

     
 

Moro em NY no momento, mas ao deparar na internet um site nazista elaborado no Brasil me deixou muito chateada, nao sei como se pode controlar isso, mas acho muito importante estarmos atentos a isso e informarmos nossos irmaos judeus sobre isso e informar tambem os politicos para essa questao, pois nazismo eh crime. Ai vai o site que deparei na internet : http://www.stormfront.org/forum/showthread.php
?t=596236&page=2

Espero que possamos ver este site fechado. Kol tov,
Carine Silberstein-Nova Iorque-EUA

Caros editores da Rua Judaica,
Meu nome eh Fabio Lavinsky, sou medico com formacao em Israel. Morei la 7 anos, fiz a residencia e pos-graduacao em oftalmologia. Passei pela segunda intifada, guerra do Libano II e ultima operacao em Gaza.Gostaria de parabenliza-los por sua otima publicacao.Creio que voces nao estao ligados a J-Street americana, verdade? O nome eh apenas uma coincidencia? Se sim, seria bom deixarem claro pois a J-Street tem uma visao politica respeitavel, porem polarizada a esquerda. Creio que vossa publicacao visa a imparcialidade jornalistica. Abraco e novamente parabens,
Fabio Lavinsky

Caro Osias Wurman,é impressionante a sua dedicação no preparo de a RUA JUDAICA. Impecável editoração, exímia seleção de assuntos, perfeita escolha de notícias, enfim a sua atividade é imprescindível para a consolidação da tradição, da cultura e progrresso da comunidade judaica no Brasil. Shalom
Kleber Rodrigues

Prezado Osias, Recebi hoje de um amigo não judeu e repasso! Infelizmente este texto impressiona  e muito mal. Soa muito verdadeiro. Extremamente detalhado e convincente. Não sei o que pensar, fiquei horrorizada. Se for divulgado na midia será uma ameaça para a comunidade. Voce provavelmente ja está a par, mas por via das duvidas, resolvi  lhe repassar. Penso que V. seja a pessoa mais indicada para tomar alguma providencia. Por favor, leia especialmente o final!
http://www.alfredo-braga.pro.br/discussoes/osjudeuseasdrogas.html
Sylvia B.

Caro Chaver Osias,
Na qualidade de católico, gostaria de expressar a minha profunda indignação, repulsa e ojeriza frente às declarações execráveis do bispo britânico Richard Williamson, que, novamente negou a existência do Holocausto de Seis Milhões de Judeus (Shoah), desta vez na revista alemã de grande circulação "Der Spigel". Primeiramente, ele não expressa o pensamento da Igreja Católica nem da maioria absoluta dos católicos no mundo. A sua vergonhosa declaração não expressa um pensamento acadêmico, mas sim a disfarçada defesa da ideologia totalitária do Nazismo. Não é possível ser católico e nazista; existe uma total irreconciliabilidade entre ambos. Será que ele não leu a Encíclica Mit Brennender Sorge, do Papa Pio XI, que condenou sistematicamente o Nazismo? Será que os cabelos brancos deste Bispo não conheceram os católicos heróicos que salvaram milhares e milhares de judeus e outros perseguidos do Nazismo na II GM (1939-1945)? Ele desconhece a história do diplomata português e católico Aristides de Souza Mendes que, seguindo a sua Reta Consciência moral e religiosa, salvou mais de 40.000 judeus? E os outros nobres exemplos como o de Angelo Roncalli (futuro Papa João XXIII) e Albino Luciani (Papa João Paulo I)? As resoluções do Concílio Vaticano II, inclusive a Nostra Aetate (que regula as relações entre Católicos e Judeus), encontram-se vigentes. Tenho um grande amigo aristocrata católico, cujos parentes na Europa foram vítimas fatais de experiências "científicas" nazistas. Esse bispo pertence à corrente (Pseudo-) tradicionalista que nega a validade do Concílio Vaticano II e é suspeita de ter relações com grupos de intolerância na Europa (como os neonazistas). Que esse Bispo seja julgado dentro do maior rigor da Lei Alemã e que a Europol investigue suas eventuais conexões com organizações neo-nazistas. Um verdadeiro católico tem de ter a dignidade e caráter de aceitar a autoridade papal; denunciar a seita místico-totalitária do Nazismo; e aceitar a existência histórica do Holocausto de mais de Seis Milhões de Judeus e de Cinco Milhões de Não-Judeus. Atenciosamente,
Marcelo Walsh

Gostaria de ajuda no sentido de manter contato com o Leitor/ Colaborador ; Samuel Sztyglic. Se for possível, favor enviar meu e-mail edmilsonpaes@hotmail.com para que ele possa me retornar se possível. O meu interesse se prenda a pessoa de Evangelina de Lima Barreto, antiga professora do Sr Samuel, que é uma das personagens da Peça que escrevi a respeito de Lima Barreto. O depoimento do Sr Samuel, seria muito importante.Desde já agradeço
Edmilson Paes

Caro Dr Osias Wurman, Fiquei muito feliz com sua informação sôbre a recente cerimônia sôbre o Holocausto realizada na Sinagoga do Recife.Isto vai lentamente dando-lhe alento para continuar como símbolo de Marranos Heroicos que ali cultuaram o D'US ALTÍSSIMO em dias tão obscuros das perseguições da Inquisição.A verdadeira história daquela comunidade ainda precisa  ser complementada, sobretudo porque ela ainda vive no sangue de muitos de nós de Pernambuco,da Paraiba e do Ceará cujos os descendentes não partiram para Nova York ou Curaçao.Eu mesmo tenho certeza de que a família de minha mãe tinha ancestrais entre os membros da Cogregação KAHAL TZUR ISRAEL que se internalizaram pelos sertões do interior deeses estados, fugindo da última visita da Inquisição em 1750, isso cerca de 100 anos depois, quando ainda o Judaismo teimava em sobreviver...Baruch Hashem!
Manasses Fonteles

Prezado Jornalista Osias Wurman, É com grande satisfação que li a notícia abaixo em sua newsletter:
- A primeira comemoração do “Dia Nacional da Imigração Judaica”, em 18 de março, será realizada no Grande Templo Israelita do RJ. O autor do projeto, agora Lei, é o Deputado Federal Marcelo Itagiba(PSDB-RJ) e o evento terá o apoio da CONIB." Acho de suma importância, principalmente paras as gerações como a minha, que já nasceram e se assimilarem aqui, lembrar e preservar nossa memória. Eu como cineasta, tento na medida do possível fazer isso com meu trabalho. Em função das comemorações no Grande Templo Israelita, gostaria de oferecer, se for de interesse da comunidade, a exibição do curta metragem que realizei recentemente sobre Ahavat Shalom - a Sinagoga de Olaria. Para mim seria uma grande honra, e para a comunidade, em especial as novas gerações, acredito que seria de grande préstimo.O video é curto, tem duração de aproximadamente 10 mins, e pode ser visto em ; http://www.vimeo.com/7866574  Espero que aprecie. Caso haja interesse, estou 'a sua inteira disposição para conversarmos,Atenciosamente
Iêda Rozenfeld

Prezado cônsul Osias Wurman. Em primeiro lugar quero cumprimentá-lo pela riqueza que é ler a Rua Judaica. Também gostaria que me indicasse onde posso ler, na íntegra - em português ou em inglês - o discurso que o presidente Shimon Peres fez na Alemanha por ocasião do dia do Holocausto. Grata pela atenção,
Grete Bejzman - Porto Alegre/RS

bom dia, gostaria de ouvir sua opinião sobre o reconhecimento do uso de fósforo branco por parte do exército de Israel.sou judeu e lembro que ano passado as forças armadas de Israel negaram veementemente o fato. Agora, perante alguns amigos não judeus, fico um pouco 'desacreditado' perante o fato. Talvez necessário à época, mas condenável.
Jairo Fruchtengarten

caro Osias,além dos fragmentos do discurso do presidente Lula no recife, no Dia do Holocausto tão bem destacados por v., eu me permitiria incluir mais esses trechos: "Esta é a quinta vez consecutiva em que me encontro com a comunidade judaica no Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto – data instituída pelas Nações Unidas também há cinco anos, em referência ao dia em que o exército soviético libertou o campo de extermínio de Auschwitz." e "Os nazistas, em um primeiro momento, demonizaram os comunistas, acusando-os falsamente de incendiar o prédio do Parlamento Alemão em 1933. Com isso, suprimiram o seu direito de se organizar em partido, restrição que em seguida foi imposta aos socialistas, sociais-democratas e todos os demais que não se alinhassem ao nazismo."
Max Altman

Olá Osias, Você conhece ou sabe onde posso obter a informação sobre festivais de teatro em Israel e festivais de teatro judaico ao redor do mundo?Muito obrigada!Shabat Shalom
Dinah Feldman

GOSTARIA DE PODER VER AS FOTOS DE SEU CYTE, NO MEU COMP. NAO CONSIGO
HENRIQUE BEGUN 

CAROS AMIGOS
ENVIEI PARA VOCÊS O CONTEÚDO DO MEU CURSO NA UERJ. GOSTARIA QUE DIVULGASSEM PARA A LISTA DE INSTITUIÇÕES, REDES SOCIAIS E AMIGOS PARA QUE POSSAM SE INSCREVER E ENRIQUECER O CONTEÚDO DO MESMO. SERIA MUITO BOM QUE DIVERSAS PESSOAS SE INSCREVESSEM. É A PRIMEIRA VEZ QUE OFEREÇO ESSE CURSO E A PRIMEIRA VEZ QUE TAL ASSUNTO É ABORDADO NA UERJ.
UM GRANDE ABRAÇO A TODOS!
Prof. Dr. João Ricardo Moderno


Osias,Certa vez, em alusão a uma comovente crônica do Arnaldo Bloch publicada no Globo, sobre sua infância, enviei um comentário a ele, citando a saudade que também sentia do meu avô. Como daquela vez, novamente sou presenteado ao ouvir coisas boas a respeito dele, com essas suas belas palavras. Tenho certeza que nossa família segue um caminho de admiração graças ao respeitável trabalho que você vem fazendo ao longo desses anos à frente da Comunidade.Abraços,
Gustavo Serebrenick

Caro Osias, não posso entender o motivo pelo qual sem qualquer causa aparente deixei de receber a Rua Judaica desde os dia 30/01/10. Naquele mesmo dia escrevi para seu jornal na sessão Procura-se e depois encontrei meu email publicado. Bem, não sei o motivo, mas, pergunto : poderia ser porque mandei o jornal para uma prima em Israel? Justamente naquele dia achei que seria muito interessante para minha prima ficar sabendo as ultimas novidades brasileiras já que ela é brasileira e mora em Israel desde 1970 e mantemos uma correspondencia diária, não so sobre artigos e noticias nacionais como também internacionais que geralmente incluem várias paginas em Inglês,Português Francês, etc. .  Vc acha que pode ter alguma relação com o fato de eu ter mandado justamente este numero? De qualquer modo, por favor continue a me enviar a Rua Judaica e me informe também,  por favor se tive alguma resposta sobre o meu pedido " Nilopolis". Agradeço muitissimo.
Miriam Finguerman - São Paulo 

Recife, 08 de fevereiro de 2010, segunda-feira.
Prezado Osias Wurman,
M.D. Consul do Estado de Israel na cidade do Rio de Janeiro.
Confirmo o recebimento do DVD da visita do Presidente Shimon Peres ao Brasil e a sua passagem pelo Rio de Janeiro, onde foi calorosamente acolhido. Mais uma vez, renovo meus agradecimentos pela maneira como se deu esta recepção ao nosso querido Shimon Peres. Agradeço, também, a sua gentileza de enviar para mim este DVD histórico. Repito o que disse em outra mensagem: Nós devemos muito a você e ao seu espírito de liderança comunitária, reconhecida internacionalmente.
Meus respeitosos cumprimentos e cordial Shalom.
Érico Oliveira de Hollanda Valente.

Prezado Srº Osias Wurman. Quero com muita satisfação e alegria agradecer ao Senhor e toda sua Equipe pelo envio do DVD, que marcou a visita do premio Nobel da paz, o Presidente Shimon Perez, ao nosso país. Que Hashem sempre vos recompense.
Whinglis A Avila

Estimado consul-honorário de Israel Sr. Osias Wurman. Quero  agradecer o envio do CD: Shimon Peres no Brasil e parabeniza-lo pelos excelente trabalho como consul e jornalista, que avidamente acompanho a cada edição de Rua Judaica que recebo. Forças para continuação deste belo trabalho.Meu cordial e fraternal SHALOM
Julinho Aisen.

Caro amigo -Consul de Israel no Rio de Janeiro-Osias Wurman..
Foi um prazer ter recebido o lindo presente-o DVD da visita do Exmo Sr.Presidente de Israel Shimon Peres.Tive a honra e ser um dos presentes naquela ocasião e tive ,um dos maiores prazeres e honra de minha vida.E as palavras de Sua Excia são dádivas de D´us, que a gente guardará para sempre.Muito,muito obrigado amigo macabeu.Fraternal e afetuoso abraço de
Jayme Gudel

É época de falar, de solidariedade. Todos nós somos responsáveis pelas inundações deproblemas, pelos terremotos de problemas e pelas causas sociais. Eu subia uma rua, onde uma pequena árvore me chamava atenção, "era a Dama da Noite", que exalava seu perfume, próspero dela mesma. Era uma árvore de pequeno porte, de flores brancas. Antes de morrer, gostaria de exaltá-la, se ela ainda existir depois de mim...
Celia Ogeda- Osasco-SP.

O MOTIVO DE ENVIAR LHE ESTE E-MAIL PARA POSSA COMPROVAR MINHA DESCENDENCIA JUDAICA. GOSTARIA DE  SABER QUAL SERIA MELHOR CAMINHO POIS MEUS AVOS E PAIS VIERAM DA ESPANHA E PORTUAGAL PROVALVELMENTE SEFARADIM OU MARRANOS MOREI ,ESTUDEI E TRABALHEI EM ISRAEL EM KIBBUTIZZIM EM KIRIATE-JEARIM  GOSTARIA DE COMPROVAR MINHA DESCENDENCIA E PEDIR AO GOVERNO PRA FAZER INHA ALLIAH PARA ISRAEL PEDIVISTO ESPECIAL DE TRABALHO . FALO VARIOS IDIOMAS E POSSUO VASTA EXPRIENCIA INTERNACIONAL  E GOSTARIA DE VOLTAR A ISRAEL E DEDICAR RESTO DOS MEUS DIAS A ISRAEL  E AOS JUDEUS  TRABALHANDO COM VOLUNTARIO EM OUTRO KIBBUTZ . NO NOME DE FAMILIA POR PARTE DE MINHA MAE  ;  VIEIRA , MARTINS , OLIVEIRA,. NOME DE DE FAMIIA POR PARTE DE PAI  : TEIXEIRA ,ALVES , COELHO /COHEN . NOS ESTADOS UNIDOS UM RABINO ME DISSE MINHA FAMILIA TEIXEIRA VEM RAIZ JUDAICA. E SIGNIFICA  TAÇA DA COMUNHÃO .COM CERTA  MINHA AV´MUDOU NOME DE COHEN  PARA   COELHO. EU NÃO ASSINO COELHO OU COHEN MAS SEI SÃO NOMES JUDAICOS  CONHEÇO RABINO LEONARDO LANATTE DE BH E DR HENRY SOBEL DE SÃO PAULO POIS MINHA COMPANHIA PRESTOU SERVIÇOS PARA ELE NA FLORIDA. DR  WURMAN    FAVOR AJUDE  ESCLARECER ESTA ENORME ANGUSTIA DE MINHA ALMA QUE CARREGO COMIGO POR ANOS DE MINHA VIDA. AMO ISRAEL  ORO PELA PAZ EM JERUSALEM  E DARIA MINHA VIDA PELO BEM ESTAR JUDEUS TODA RABA. TODA RABA. SHALOM
MARCO TEIXEIRA.BH-MG

Shalom, meu nome é Jefferson Gualda, sou médico dermatologista em Maringá-PR e gostaria de resgatar minhas raízes judaicas. Sempre nutri um amor por Israel e pelos judeus e após adulto resolvi pesquisar minhas origens onde meus sobrenomes eram de origem judaica. Então para não parecer tolo fiz também um exame de DNA de ancestralidade judaica que comprovou minhas origens. Gostaria de ajuda para ir em frente e retomar meu lugar como judeu que sou. Já entrei em contato com CONIB entre outros, porém não tenho respostas claras sobre o que necessito.Assisti o documentário Judeus do Sertão e me identifiquei muito com a história do colega Luciano Oliveira e se puderem me ajudar a localizá-lo seria muito bom. Grato.
Jefferson Gualda

Shabat Shalom, Sr O.Wurman quero parabenliza-lo pelo exelênte trabalho o qual realiza toda equipe da rua judaica, gostaria que soubesse que me alistei no Exército Israelense como recruta e desejo do intímo da minha alma dedicar minha vida em prol da Nossa Nação Judaica  e segundo a vontade do Eterno um futuro de paz entre arabes e judeus.Um caloroso Shalom a todos da rua Judaica, que o Eterno os abençoe.Am Yisrael Hai! amém!
Eduardo-Guaxupé-MG

 

 
     
 

 


Jornalista Responsável:
Osias Wurman - MT 14.707
Colaboradores Internacionais: Jerusalém - Daniela Kresch, Budapeste - Judith Klein, Miami - Fernando Bisker
Diagramação: MarketDesign
Colaborador Especial: Jaime G. Christof